Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Zidane: “O Barcelona é um campeão merecido. A nós o que nos interessa agora é passar à final da Champions”

O Real recebe terça-feira o Bayern de Munique, na 2ª mão das meias-finais da Liga dos Campeões, e o objetivo de Zidane (depois de perder o campeonato para o Barcelona) é claro: voltar a conquistar a prova

Expresso e Lusa

Max Rossi

Partilhar

O treinador do Real Madrid, o francês Zinedine Zidane, disse hoje que a sua equipa está “muito motivada” para a receção ao Bayern Munique, na segunda mão das meias-finais da Liga dos Campeões de futebol.

“O que posso dizer é que, aconteça o que acontecer, somos uma equipa, e podemos fazer seja o que for. O importante é a motivação dos jogadores, e todos querem jogar, nem que seja como lateral”, disse, na conferencia de imprensa de antevisão do encontro, no qual os madridistas entram em vantagem depois de uma vitória por 2-1 na Alemanha.

O técnico francês respondia a perguntas dos jornalistas sobre a disponibilidade de Nacho e Isco, dúvidas por lesão para o jogo de terça-feira, marcado para as 19h45 no Estádio Santiago Bernabéu.

Zidane explicou que o plantel, que inclui o português Cristiano Ronaldo, está com vontade de jogar, mas só irá escolher “aqueles que estiverem a 100%” a nível físico, sem querer “arriscar nada no que toca à saúde” dos seus jogadores.

O francês elogiou ainda o FC Barcelona, que no domingo se sagrou campeão espanhol e foi a equipa “dominadora” durante esta temporada, em que os catalães sucederam aos ‘merengues’ após “terem feito uma grande temporada”.

“Na Liga, o dominador é claramente o Barcelona, é um campeão merecido e há que felicitá-lo. Temos a possibilidade de passar à final da ‘Champions’, eles ganharam dois títulos numa grande temporada. Não vamos a retirar o mérito ao Barcelona. A nós o que nos interessa é o jogo de amanhã [terça-feira]”, acrescentou.

"Sabor especial" para Sergio Ramos

Igualmente presente na conferência de imprensa esteve o defesa Sergio Ramos, ‘capitão’ de equipa, que reforçou as felicitações ao ‘Barça’, que “tem mérito” na conquista do campeonato.

Para Ramos, a formação espanhola deve focar o encontro “como se estivesse empatado a zero” e a possibilidade de chegar a um terceiro triunfo consecutivo, para poder “defender o título e voltar a ganhar ao Bayern”.

Apesar de se mostrar focado na meia-final, o defesa admitiu que a final, em Kiev, seria “um prémio pelo trabalho” do Real e explicou que o êxito recente na competição dá “um extra de motivação para continuar a trabalhar e a atingir os objetivos”.

“Desfruto muito da ‘Champions’, porque depois de tantos anos a ser eliminados nos ‘oitavos’, estar oito consecutivos nas meias-finais é um prémio, e somando as quatro finais e três títulos, é impagável. Virá o dia em que nos toca perder, mas vamos fazer o máximo para ganhar, e tem um sabor especial”, confessou.

O Real Madrid recebe na terça-feira, pelas 19h45, em Madrid, o Bayern Munique, em jogo da segunda mão das meias-finais da Liga dos Campeões, depois de uma vitória espanhola por 2-1 no reduto dos alemães na primeira mão.

Na outra meia-final, na quarta-feira, Roma e Liverpool defrontam-se na capital italiana, depois de uma vitória dos ingleses em casa, por 5-2.

  • Uma coisa muito, mas muito Real Madrid

    Liga dos Campeões

    Os alemães tentaram, insistiram e remataram, mas os espanhóis foram a Munique ganhar 1-2 ao Bayern, mesmo que os alemães tenham tentado, forçado e rematado. O Real Madrid está em vantagem para chegar à decisão do que pode ser a sua terceira Liga dos Campeões seguida. Mesmo não sendo espetaculares ou majestosos, os espanhóis fizeram o que era preciso. O que também é típico deles (mesmo sem o habitual golo de Ronaldo)

  • Se calhar já era hora de se começar a construir a Grande Esfinge de Salah (mas atenção que isto ainda não acabou)

    Liga dos Campeões

    O avançado egípcio marcou dois golos, ofereceu mais um par deles e liderou a sessão de terraplanagem com que o Liverpool ia brindando a Roma na 1.ª mão das meias-finais da Liga dos Campeões. E foi já com ele no banco que os italianos tornaram um 5-0 num 5-2, resultado que ainda deixa aquela porta de esperança aberta, não fosse a Roma a equipa que perdeu em Camp Nou por 4-1 para depois bater o Barcelona em casa por 3-0. Quem gosta de futebol agradece, mas Salah talvez não merecesse o sofrimento