Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Liverpool vs Real Madrid: a final das (muitas) oportunidades de golo

Ingleses e espanhóis disputam este sábado (19h45, RTP1) a final da Liga dos Campeões, que o analista de futebol Tiago Teixeira diz que será um festival ofensivo, provavelmente com muitíssimas oportunidades de golo para ambas as equipas

Tiago Teixeira, analista de futebol e criador do blogue Domínio Tático

A final da Liga dos Campeões 2017/18 disputa-se entre Liverpool e Real Madrid, no Estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia

Peter Byrne - PA Images

Partilhar

Está aí um dos jogos mais aguardados do ano a nível de clubes: a final da Liga dos Campeões.

Em Kiev irão defrontar-se Real Madrid e Liverpool, duas equipas sempre com os olhos postos na baliza adversária, mas muito diferentes nos caminhos que procuram para lá chegar.

O Liverpool de Jürgen Klopp

Organizados em 4-3-3, o caminho mais procurado pelos jogadores do Liverpool para chegar à baliza adversária é a transição ofensiva.

Na maior parte das vezes que recuperarem a posse de bola procurarão logo o passe vertical, de modo a fazer a bola progredir em direção à área do Real Madrid o mais rapidamente possível.

Neste momento do jogo destacam-se três jogadores da equipa inglesa:

Mohamed Salah, Roberto Firmino e Sadio Mané - o trio de matadores do Liverpool

Mohamed Salah, Roberto Firmino e Sadio Mané - o trio de matadores do Liverpool

Craig Mercer - CameraSport

Roberto Firmino, pela qualidade com que, de costas para a baliza, consegue receber a bola e ser ele a referência para o início das transições ofensivas, e Sadio Mané e Mohamed Salah, ambos pela velocidade com que são capazes de ganhar as costas da linha defensiva adversária.

Em organização defensiva, há um posicionamento mais subido e interior dos extremos Mané e Salah, quando tentam condicionar a construção adversária, ou seja, em vez de defenderem na mesma linha dos três médios, posicionam-se mais à frente e mais perto de Firmino.

Isto leva a que os médios interiores, Wijnaldum e Milner, tenham que bascular mais para os corredores laterais caso algum adversário receba a bola lá, o que abre mais espaço para o adversário no corredor central.

O Real Madrid de Zinedine Zidane

Preferencialmente disposto em 4-4-2, o Real Madrid tenta construir de forma apoiada e paciente, recorrendo muito a uma circulação em “U”, ou seja, por fora do bloco defensivo adversário.

Tal acontece porque a equipa procura muitas vezes que Marcelo receba a bola com espaço para forçar o 1x1 ou para combinar com um dos médios, para depois servir Ronaldo e Benzema na área.

Não se pode dizer que o Real Madrid seja uma equipa coletivamente bem trabalhada do ponto de vista ofensivo, mas quando se tem no plantel jogadores como Marcelo - capacidade tremenda para desequilibrar pelo corredor lateral esquerdo - Kroos/Modric/Isco - médios cheios de qualidade técnica e criatividade - e Ronaldo - máquina de fazer golos - é natural que esta seja uma equipa muito perigosa ofensivamente.

Kroos, Mayoral, Marcelo, Ronaldo e Benzema a festejarem a passagem à final da Liga dos Campeões

Kroos, Mayoral, Marcelo, Ronaldo e Benzema a festejarem a passagem à final da Liga dos Campeões

OSCAR DEL POZO/GETTY

No processo defensivo, é um Real Madrid que na maior parte das vezes é demasiado passivo na reação à perda da bola e que se desequilibra com muita facilidade, o que contra uma equipa tão forte em transição ofensiva como o Liverpool poderá ser determinante para o desfecho do jogo.

Em organização defensiva, o destaque negativo vai para o espaço que os espanhóis muitas vezes concedem entre a sua linha defensiva e a linha média, que poderá ser aproveitado por Firmino para receber a bola já nas costas dos médios e servir Salah e Mané.

Posto isto, é de esperar pelo menos uma coisa: um jogo com muitas oportunidades de golo para ambas as equipas.

O Liverpool procurará a velocidade de Mané e Salah para chegar à baliza de Navas, enquanto que o Real preferirá construir de forma mais apoiada para depois servir Ronaldo e Benzema já dentro da área.

  • A atacar é que a gente se entende

    Liga dos Campeões

    O Liverpool de Jürgen Klopp e o Real Madrid de Zinedine Zidane defrontam-se este sábado (19h45, RTP1), numa final da Liga dos Campeões que se espera que seja assim: tudo ao ataque e fé nos golos - e nos goleadores, nomeadamente Ronaldo e Salah