Tribuna Expresso

Perfil

Liga Europa

Jesus: “Se eu mandasse na FIFA e na UEFA, sintéticos, zero. Podem dizer que são de última geração e têm não sei o quê: tudo treta”

Na antevisão do jogo contra o Astana, quinta-feira (16h, SIC), no Cazaquistão, o treinador do Sporting lamentou a falta de relva no relvado (sintético) e acrescentou que ganhar a Liga Europa dá mais prestígio do que vencer em Portugal "três ou quatro campeonatos"

Expresso

Jorge Jesus já chegou a duas finais da Liga Europa, mas perdeu ambas, ao serviço do Benfica

GENT SHKULLAKU/GETTY

Partilhar

Carga de jogos

"Quando estás numa competição, neste caso a Liga Europa, mas também podia ser a Champions, não podes ter muitos argumentos para te desculpar seja com o que for. O sucesso às vezes também se paga caro, mas queremos estar aqui. Já ganhámos um troféu em Portugal e queremos chegar o mais longe possível na Liga Europa.

O nosso adversário no seu estádio é uma equipa competitiva e perigosa. Vamos treinar hoje num sintético, não treinámos antes. O adversário também tem direito a sonhar e pensa em eliminar o Sporting".

Jorge Jesus já esteve em duas finais da Liga Europa

"Toda a gente sabe que em Portugal os três grandes têm como prioridade o campeonato, não é a Liga Europa nem a Champions. Mas estando aqui e faltando poucos jogos para chegar à final não vamos enjeitar essa possibilidade. Queremos estar o mais longe possível na competição, sabendo que o sorteio também é um fator importante.

Quero dar os parabéns à estrutura do Sporting pelo trabalho logístico feito durante duas semanas antes de chegarmos aqui, um trabalho de reconhecimento de que condições podíamos dar à equipa para poder ter maior estabilidade emocional e física. Porque é que não viemos mais cedo? Não tínhamos campo para treinar, com o frio e com a neve, por isso é que não viemos, se não tínhamos vindo um dia mais cedo.

É claro que sim, que é um sonho conquistar a Liga Europa, mas além do sonho isso pode tornar-se uma realidade, porque o Sporting tem todas as condições para chegar lá. Queremos fazer um bom resultado e levar esta eliminatória para Lisboa já em vantagem."

A convocatória, com Rafael Leão e sem Mathieu (e o sintético)

"Demos ao Rafael leão a primeira possibilidade de jogar contra o Feirense. Ele tem vindo a trabalhr com a equipa profissional há cerca de dois meses, com um trabalho específico que achamos que ele tem de desenvolver. Ele tem talento, mas não vamos já inventar o Rafael como jogador, ainda tem muito que aprender. Vai ser preparado passo a passo, sempre com muito cuidado, porque sabemos o valor dele e também sabemos o valor dos colegas que jogam na posição em que ele joga.

A Arena Astana, no Cazaquistão, é um estádio com um relvado sintético

A Arena Astana, no Cazaquistão, é um estádio com um relvado sintético

Foto Olimpik

Não quisemos arriscar trazer o Mathieu, porque jogar no sintético não é o mesmo que jogar na relva. Se eu mandasse na FIFA e na UEFA, sintéticos, zero. Mas há países que são frios e eu compreendo. Podem dizer que os sintéticos são de última geração e têm não sei o quê: isso é tudo treta ao pé da relva.

Não quisemos arriscar o Mathieu porque ele já deu alguns sinais [de fadiga] contra o Feirense e queremos protegê-lo".

É melhor ser campeão em Portugal ou ganhar a Liga Europa?

"O primeiro grande objetivo do Sporting é ser campeão de Portugal, ninguém duvide disso. Agora, a Liga Europa é uma competição que dá muito mais prestígio. Chegar à final da Liga Europa dá a um treinador um prestígio de ganhar três ou quatro campeonatos em Portugal não dá."

  • Sporting já treina em Astana (com 20 graus negativos)

    vídeo

    O Sporting chegou à capital do Cazaquistão por volta das 12h30 locais, menos seis horas que em Lisboa e, esta tarde de quarta-feira, já tem o treino de adaptação em Astana, onde estão cerca de -20ºC. Contudo, o estádio Arena Astana é aquecido, pelo que o Sporting não deverá jogar amanhã debaixo de neve, mas pela frente terá relvado sintético e o tetracampeão cazaque, que está pela primeira vez na fase a eliminar da Liga Europa e sofreu apenas uma derrota nos últimos 18 jogos europeus disputados em casa