Tribuna Expresso

Perfil

Luís Franco-Bastos

#1 Prólogo (a primeira crónica de Luís Franco-Bastos na Tribuna Expresso)

O primeiro texto do humorista Luís Franco-Bastos na Tribuna Expresso envolve ervilhas, ovos escalfados e, claro, o Mundial 2018

Luís Franco-Bastos

Stuart Forster

Partilhar

Uma das mais nítidas imagens que guardo da infância é o meu pai, dentro duma nuvem de fumo, folheando religiosamente o Expresso. “Sabes, é um jornal de excelência. Apenas os melhores profissionais com a melhor formação e o melhor curriculum escrevem para o Expresso”. Chegamos a 2018 e eu não sou licenciado em jornalismo, não tenho qualquer tipo de experiência nem carteira profissional e estou a escrever para o Expresso. Quer-me parecer que o meu pai os tinha em demasiado boa conta.

Foi relativamente fácil abraçar o repto da Tribuna Expresso. Indivíduos como eu aproveitam toda e qualquer desculpa plausível para congelar a sua vida durante um mês em prol do visionamento de 64 jogos. Estes adeptos são como a depressão – existem e têm grande impacto na sociedade, por mais que se evite falar nisso. Eu sou o tipo de adepto que necessita visceralmente de ver todos os jogos do Mundial - seja um Portugal-Brasil, um Colômbia-Suíça ou um Austrália-Montijo.

Mais: defendo veementemente que o Mundial deve ser vivido da mesma forma que uma série da Netflix. Todos os jogos estão interligados e perder um prejudica gravemente o entendimento da trama. Se eu falhar o Marrocos-Irão da primeira fase, jamais conseguirei compreender porque Kevin de Bruyne se lesionou na tibiotársica nas meias-finais contra o Panamá.

Acima de tudo, aceitei esta incumbência porque gosto de desafiar os meus limites. Sou português: se há coisa que aprecio é falar de futebol como se entendesse, efetivamente, de futebol. Estou habituado a fazê-lo embriagado, junto a roulottes, no meio de outros indivíduos com um IRS mais baixo que o meu, também embriagados. Serei capaz de fazer por escrito e sóbrio aquilo que tão bem faço verbalmente e ébrio? O tempo o dirá.

Por fim, uma nota de realismo em relação às minhas expetativas nesta colaboração – duvido seriamente que, nos dias que correm, a minha crónica sobreviva à censura, pelo que incluo já aqui por precaução uma receita de ovos escalfados com ervilhas. Sempre que sentirem necessidade de cortar, usem um excerto da receita para preencher os caracteres em falta.

Ingredientes (para 4 pessoas):

1kg de ervilhas congeladas
½ chouriço
1 cebola
3 dentes de alho
1dl de azeite
1dl de polpa de tomate
8 ovos
salsa e pimenta q.b..

Num tacho, deite a cebola e os alhos picados, o azeite e leve ao lume a alourar. Adicione a polpa de tomate e o chouriço cortado em pedaços mais pequenos. Deixe fritar um pouco. Junte as ervilhas, mexa bem e deite água até as ervilhas ficarem tapadas, tempere de sal e pimenta e deixe cozer. Quando a ervilhas estiverem quase cozidas deite os ovos um a um com cuidado, tape e deixe escalfar em lume brando. Depois é só servir. Acrescente-lhe um toque de graça com coentros picados. Vai fazer as delícias do próximo almoço de amigos.

  • “Estado Puro”: a crónica diária de Luís Franco-Bastos na Tribuna Expresso

    Mundial 2018

    Luís Franco-Bastos nasceu em Lisboa, nomeadamente num hospital privado. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa e a média com que concluiu o curso é, no seu entender, um assunto do foro privado. É humorista e proprietário de imóveis, mas sobretudo humorista. Foi contratado só para esta crónica e, se alguém do Expresso tiver dois dedos de testa, não se seguirá mais nenhuma colaboração. Durante o mês do Mundial2018, escreve uma crónica por dia, todos os dias, a começar no dia 13 de junho