Tribuna Expresso

Perfil

Luís Franco-Bastos

“Estado Puro” #15. Sampaoli tem pelo menos mais um jogo para testar as 28 combinações de 11 titular que restam (por Luís Franco-Bastos)

Luís Franco-Bastos nasceu em Lisboa, nomeadamente num hospital privado. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa e a média com que concluiu o curso é, no seu entender, um assunto do foro privado. É humorista e proprietário de imóveis, mas sobretudo humorista. Foi contratado só para esta crónica e, se alguém do Expresso tiver dois dedos de testa, não se seguirá mais nenhuma colaboração

Luís Franco- Bastos

GIUSEPPE CACACE

Partilhar

Bom, então parece que sempre há Argentina. Ou não. Há uma espécie de Argentina. Restos. Um sucedâneo de Argentina na ausência da Argentina. Uma Argentina vegan. Se a Argentina fosse Chili, este Mundial só tinha de soja.

Tenho algum receio de parecer que estou a desvalorizar o futebol português (e é provável que pareça, uma vez que, efectivamente, estou), mas cá vai: a dada altura, quando vi Salvio e Acuña no 11 titular da Argentina (nomeadamente contra a Croácia), o meu primeiro pensamento foi “Argentina com jogadores do Benfica e Sporting no 11 titular? Parece-me não ser a geração mais brilhante de sempre do futebol argentino”.

Mas, de facto, a qualificação para os oitavos é uma boa notícia para os adeptos Argentinos e, em especial, para Sampaoli: desta forma o seleccionador terá, pelo menos, mais um jogo para experimentar as 28 combinações de 11 titular que restam. Ainda existem 7 ou 8 posições que Messi não fez, e Mascherano ainda não foi à baliza.

É tranquilizante ver que Sampaoli planeou tudo com antecedência e chegou preparado à Rússia. Todas as experiências pré-Mundial estão a ser feitas em pleno Mundial. O que até tem uma certa lógica: se o objectivo é ter sucesso no Mundial, os 86 esquemas tácticos possíveis que Sampaoli tem desenhados na cabeça devem ser testados no Mundial, para se perceber se resultam em ambiente de Mundial. A única desvantagem é apanhar uma ou outra coça de 3-0 pelo meio, porque naquele momento estavam a testar um 4-2-6-4-7-1 em losango com Messi no apoio a Messi.

Pelo número de trocas posicionais e rotatividade do esquema, a Argentina é o único país que está na Rússia representado pela sua Selecção de Futsal. A continuar assim, Sampaoli só pára na NFL. 11 para atacar, perde a bola e troca por outros 11 para defender. Guarda-redes? Não tem. Até aqui, tudo igual.