Tribuna Expresso

Perfil

Luís Franco-Bastos

“Estado Puro” #20. “Sou o novo animal que adivinha resultados, nomeadamente, uma amêijoa” (por Luís Franco-Bastos)

Luís Franco-Bastos nasceu em Lisboa, nomeadamente num hospital privado. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa e a média com que concluiu o curso é, no seu entender, um assunto do foro privado. É humorista e proprietário de imóveis, mas sobretudo humorista. Foi contratado só para esta crónica e, se alguém do Expresso tiver dois dedos de testa, não se seguirá mais nenhuma colaboração

Luís Franco-Bastos

O polvo Paul

PATRIK STOLLARZ

Partilhar

Depois do Polvo Paul e de todos os que se seguiram, sou oficialmente o novo animal que adivinha resultados. Não estão a perceber: sou, literalmente, um animal irracional no que toca a adivinhar resultados, já que tenho a capacidade duma amêijoa que nunca viu futebol na vida.

Desenhei um esquema, fiz a minha previsão geral e, confiante, publiquei no Twitter. Coloquei Espanha como finalista e foi a primeira a ir de vela nos oitavos. É essa a amplitude do meu fracasso enquanto animal que prevê resultados. “Vai à final”, não, sai de prova imediatamente. “Ganham 2-0”, não, perdem 5-1 e são anexados por uma das nações vizinhas. Todos os países que dei como eliminados estão, neste momento, em festa. Por esta altura, já há um feriado na Rússia em minha honra.

A verdade é que este meu dom já tomou proporções inesperadas em apenas 24 horas. Vocês têm sido leitores fiéis e é justo que saibam em primeira mão: recebi uma proposta dum snack-bar na Arrentela para ser a sua mascote até ao final do Mundial. A cada jogo, servem-me duas travessas de moelas, cada uma com uma bandeira. Eu como uma delas, e a que eu comer corresponde à bandeira do país vencedor.

Ainda não é certo mas, caso avance, pode implicar a minha rescisão com a Tribuna Expresso. Escrever para a Tribuna Expresso e ser animal de previsões dum snack-bar é como treinar o Al-Hilal e treinar a seleção portuguesa. Mais tarde ou mais cedo (gostaria eu), o primeiro é sacrificado pelo segundo.