Tribuna Expresso

Perfil

Mercado

Liga espanhola não aceitou cheque de €222 milhões por Neymar

Advogado do PSG foi depositar cheque à Liga espanhola, mas foi recusado. Presidente do organismo já tinha anunciado que não ia aceitar o dinheiro

Expresso

David Ramos

Partilhar

O preço da liberdade de Neymar estava fixado nos 222 milhões de euros - o valor da sua cláusula de rescisão no Barcelona. Mas o negócio da transferência do internacional brasileiro para o PSG pode vir a ser mais complicado do que se pensava.

De acordo com vários desportivos espanhóis, um advogado, representante do PSG, deslocou-se na manhã desta quinta-feira à sede da Liga espanhola para depositar o valor exigido pelo clube catalão, mas o cheque não foi aceite.

Segundo o desportivo “Marca”, Juan de Dios Crespo, advogado especializado em direito desportivo, foi o encarregado de depositar o “dinheiro do PSG” na sede da liga espanhola.

Esta resposta da Liga espanhola não surge como uma surpresa: ainda ontem, o presidente da “La Liga”, Javier Tebas, já tinha anunciado que iria recusar o dinheiro do PSG e acusou o clube francês de “doping financeiro”.

“Basicamente, o que iremos denunciar é a concorrência desleal que representa competir contra os clubes-Estados, equipas que recebem injecções económicas de países que oferecem jogadores aos seus adeptos, em troca de tirar-lhes outros”, explicou Tebas, em entrevista ao “AS”.

De forma a que Neymar possa jogar pelo PSG, os assessores do brasileiro deverão solicitar à FIFA a emissão de um certificado de transferência provisório, explica a “Marca”.