Tribuna Expresso

Perfil

Mercado

Mbappé, o PSG e o “fair-play financeiro” entram num bar

O PSG já rebentou todos os recordes do mercado de transferências este verão: só com a contratação de Neymar. Mas, ao que tudo indica, o milionário do Qatar, dono do clube francês desde 2011, não deve ficar por aí e aumentar ainda mais a fasquia. Kylian Mbappé, 18 anos, deverá ser ‘roubado’ a Leonardo Jardim e ao Mónaco por… 180 milhões de euros

Fábio Monteiro

Leonardo Jardim e Kylian Mbappé

VALERY HACHE/GETTY

Partilhar

Há piadas que acabam por perder o valor, quando a história acontece na realidade e, ainda por cima, tem tendência a repetir-se. Uma contratação “irreal” é uma coisa, duas é rotina.

Sabemos que todos os exercícios de futurologia são perigosos, mas este, quando faltam poucos dias para o fecho da janela do mercado de transferências, impõe-se: depois deste verão, os valores pagos por jogador voltarão algum dia a ser os mesmos? José Mourinho falou, há algumas semanas, numa “inflação louca” de preços: está-se a pagar valor exorbitantes por jogadores normais, apontou. Talvez esteja aqui um mau presságio.

O que podemos afirmar, para já, sem dúvidas: o Paris Saint-Germain mudou as regras. Todos os recordes foram batidos: o número de milhões gastos em contratações, o valor pago por um só jogador. E não faltam clubes chateados com esta situação.

Longe vão os tempos em que Roman Abramovich, o oligarca russo dono do Chelsea, era o excêntrico do mercado de transferências. O milionário Nasser Al-Khelaïfi, presidente do PSG desde 2011, rebentou com a bolha dos 105 milhões de euros pagos por Pogba, pelo Manchester United no ano passado, e mais que a duplicou. Foi “peaners”, como diria Jorge Jesus.

Cavani, Dí Maria, Gonçalo Guedes, David Luiz, Lucas, Sissoko, Trapp… são alguns dos nomes que Nasser Al-Khelaïfi já comprou para o plantel do PSG, desde que assumiu a presidência do clube.

Este mês, o PSG pagou 222 milhões de euros por Neymar e, segundo a imprensa francesa este fim-de-semana, ainda irá buscar Mbappé ao Mónaco por 180 milhões. “Se o PSG contrata o Mbappé, podem rasgar o fair-play financeiro”, disse Brendan Rodgers, treinador do Celtic Glasgow - clube que vai defrontar o PSG na Liga dos Campeões -, na sexta-feira.

Para Rodgers, aquilo que era uma excentricidade, o que até poderia ser uma excepção à regra com a contratação de Neymar, está a tornar-se “obsceno” e já não tem piada. Mas isso não quer dizer que a transferência de Mbappé não venha a acontecer.

Mbappé entrou no bar… e quer sair

Kylian Mbappé, a pérola do Mónaco nas últimas duas épocas, está mais ou menos de castigo: é convocado por Leonardo Jardim, mas tem ficado sempre no banco e não joga, pois o jovem de 18 anos parece estar com a cabeça … em Paris. O treinador português já tinha dito há duas semanas: “A minha filosofia é jogar com os jogadores que estão disponíveis a 100% para o grupo. E Mbappé não está a 100%. Ele não está em forma neste momento.”

Depois de ter sido assediado pelo Real Madrid em julho, foi em França que o coração do jovem francês foi capturado - e a euforia criada em volta da transferência de Neymar do Barcelona para o PSG deve ter ajudado. Sintoma disso: na semana passada, Mbappé foi expulso de um treino, depois de um desentendimento com Andrea Raggi, mas fez birra; recusou-se a sair, o que obrigou Leonardo Jardim a fazer mudar toda a equipa para outro campo.

A princípio, Jardim até tentou protegê-lo. “Não temos por hábito castigar os jogadores, pelo contrário, é para protegê-lo. Com tanta coisa à volta de um menino de 18 anos, a nossa obrigação é protegê-lo”, disse. Mas os “cuidados” do treinador português não lhe foram suficientes.

Mbappé, ligado ao Mónaco desde 2013, acha que está na hora de mudar e que vai ser o PSG a ganhar o próximo campeonato. Quer garantir que está na equipa ganhadora.

Mas o Mónaco, por razões óbvias, não está a facilitar o negócio: para muitos franceses, Mbappé, que estreou-se a jogar no campeonato francês quando ainda tinha 16 anos, é o sucessor do histórico Thierry Henry e apresenta o mesmo nível talento precoce. Perder um jogador como estes seria sempre complicado, mas para um rival do mesmo campeonato é mil vezes pior. Mais: para o vender, o Mónaco teria sempre de contornar o “fair-play financeiro”.

Solução: “empréstimo”

Há que ser criativo. Não existe nada fixo nas regras da liga francesa que diga que Mbappé não pode mudar-se para Paris a título de empréstimo.

Segundo várias publicações, incluindo o L’Équipe, o PSG e o Mónaco chegaram no domingo a acordo para transferência do francês, num negócio que irá rondar os 180 milhões de euros.

Ao que tudo aponta, Mbappé irá chegar ao Paris Saint-Germain por empréstimo, devido às limitações impostas pela UEFA com o ‘fair-play’ financeiro, ficando o clube da capital francesa obrigado a pagar os 180 milhões de euros no final da temporada.

Caso se confirme a transferência, o jogador de 18 anos irá tornar-se no segundo jogador mais caro da história do futebol. E os adeptos do PSG vão ter razões para sorrir - mais uma vez.