Tribuna Expresso

Perfil

Mercado

Liga espanhola pede investigação aos gastos do City e do PSG

A Liga espanhola de futebol pediu à UEFA que investigue os gastos do Manchester City e que verifique também se o Paris-Saint Germain cumpriu as regras do fair-play financeiro, informou esta segunda-feira a agência Associated Press

Lusa

Henry Romero

Partilhar

O presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, disse à Associated Press que os 'citizens' e os parisienses beneficiam de apoios estatais, contribuindo assim para uma "distorção das competições europeias" e que isso "está a prejudicar, de forma irreparável, a indústria do futebol".

A UEFA disse, na sexta-feira, que ia investigar se o PSG tinha infringido as regras designadas para controlar o excesso de gastos financeiros. Javier Tebas quer que seja examinada a história de "incumprimento do PSG".

No mercado que fecho a 31 de agosto, o PSG despendeu 222 milhões de euros (ME) para desviar o brasileiro Neymar do FC Barcelona, na que passou a ser transferência mais cara de sempre, e garantiu junto do Mónaco o empréstimo do francês Mbappé, adiando para 2018 a conclusão de um negócio que poderá valer 180 milhões de euros.

Já o City fez as aquisições milionárias do guarda-redes brasileiro Ederson (40 milhões de euros), proveniente do Benfica, e do português Bernardo Silva (50 milhões de euros), vindo do Mónaco juntamente com o francês Mendy (57 milhões de euros), o inglês Kyle Walker (51 milhões de euros) e do brasileiro Danilo (30 milhões de euros).