Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Tem uma rede, duas raquetas e muitas bolas, mas não é ténis

Tudo o que sempre quis saber sobre pádel, cujo Mundial começou esta segunda-feira na Quinta da Marinha, em Cascais, com quase duas dezenas de participantes portugueses

Olavo Cruz (infografia)

Partilhar

Inventado por ingleses e difundido por latinos

Por mais que os atuais praticantes o tentem renegar, o pádel nasceu de uma variação do ténis. Foi por volta de 1890 que passageiros de navios ingleses tentaram pela primeira vez adaptar a prática do ténis ao espaço de bordo, num campo improvisado, de dimensões menores e protegido por telas.

Em 1924, o então denominado pádel-ténis foi pela primeira vez praticado em terra, quando o norte-americano Frank Beal improvisou alguns campos nos parques municipais de Nova Iorque. Em 1969, Enrique Corcuera construiu o primeiro campo de pádel num hotel de Acapulco, no México, e tornou-se oficialmente o pai do desporto tal como ele é hoje é conhecido.

Foi Corcuera quem definiu as dimensões de jogo e o regulamento que rege a modalidade. Atualmente, o pádel é organizado e regulamentado a nível mundial pela FIP (Federación Internacional de Pádel), entidade que conta 15 associados, nos quais se destacam o Brasil, a Argentina, o México e a Espanha.

CAMPO

As paredes de fundo dos primeiros campos eram construídas em alvenaria, material que ainda hoje é utilizado na maioria dos campos na América do Sul. Reza a lenda que foi a Coca-Cola, enquanto patrocinadora do circuito espanhol de pádel, que “inventou” os campos com fundos em vidro ou acrílico, com o intuito de facilitar a visualização dos jogos e a sua transmissão televisiva durante as competições oficiais. A estrutura dos campos modernos são utilizados materiais galvanizados, encaixados sobre trilhos. A montagem é feita sobre elementos mecânicos de fixação, o que permite ainda a remoção, deslocação e recuperação do mesmo.

REGRAS

EQUIPA

Num jogo participam duas equipas de dois jogadores. Vence a equipa que primeiro completar seis jogos, desde que obtenha pelo menos dois de vantagem. O conjunto de jogos denomina-se set. Os jogos são disputados à melhor de três sets.

TIE-BREAK

Ocorre quando há um empate a seis jogos e conta-se dezero a sete. Uma equipa - ou dupla - vence quando atinge os sete pontos, desde que tenha dois pontos de vantagem em relação aos adversários.

SERVIÇO

Executado por baixo, abaixo da cintura, após a bola bater no chão atrás da linha de fundo. A bola segue cruzada, não deve tocar na rede, e tem de acertar dentro da zona de receção no campo do adversário. Se de seguida tocar na rede metálica que limita o campo é considerada falta. A resposta do adversário não pode ser diretamente em vólei.

DURANTE O JOGO

A bola pode tocar na rede, assim como ter o segundo ressalto na rede metálica, continuando em jogo. Os jogadores podem sair do campo e devolver a bola enquanto não ocorrer o seu segundo ressalto.

BOLAS

São em goma, com um diâmetro entre os 6,35 e os 6,77 cm, de cor branca ou amarela e um peso entre os 56 e 59,4 g.

RAQUETA

A superfície destinada ao golpe é perfurada por um número ilimitado de buracos cilíndricos, com 9 a 13 mm de diâmetro cada em toda a zona central.

Para escolher a raqueta corretamente, a primeira coisa a ter em conta são algumas noções básicas sobre as suas características.

FORMA E EQUILÍBRIO

A forma é um dos aspetos mais importantes a considerar e, possivelmente, o que se observa em primeiro lugar. Além disso, a forma da lâmina ou cabeça da raquete está diretamente relacionada com o balanço (equilíbrio). Existem três formas diferentes de raquetas de pádel.

FORMA DIAMANTE

Estas raquetas são caracterizadas pela parte superior achatada. Este tipo de raqueta tem um equilíbrio alto, ou seja, o peso é distribuído para a cabeça e possui uma maior inércia na pancada (efeito de martelo). Neste tipo de raqueta, o sweet spot (localização ótima de impacto sobre a bola) é menor e menos maneável. No entanto, o jogador com nível de força suficiente consegue obter muito mais poder no ataque. Portanto, é aconselhável para jogadores avançados que procurem potência.

FORMA LÁGRIMA

Entre o formato diamante e o redondo. O balanço é um pouco menor do que na raqueta em forma de diamante, por isso são também mais fáceis de controlar. Estas raquetas são polivalentes e têm uma melhor relação entre potência e controlo.

FORMA REDONDA

O equilíbrio neste tipo de raqueta é muito baixo, já que o peso está distribuído para o punho, tornando-as muito maneáveis.

A maneabilidade de uma raqueta é um aspeto fundamental para um jogador que se inicia e necessita de mover a raqueta com facilidade para aprender a realizar corretamente cada golpe.

Isto não quer dizer que jogadores de nível alto não escolham este tipo de raqueta, que é ideal para quem tem como característica principal do seu jogo a maneabilidade e controlo.

PANCADAS DE JOGO MAIS USADAS NO PÁDEL

SERVIÇO

É feito por baixo e a bola não pode passar acima da cintura. No serviço a bola deve bater primeiro no chão atrás da linha de fundo. Deve ser cruzado, passar a rede e acertar dentro da zona de receção do campo do adversário.

SMASH

Deve apontar para a parede de fundo do campo contrário e, se possível, em linha reta, para traçar o caminho mais curto da bola. Se feita com a força e o ângulo correto, a pancada deve fazer com que a bola seja devolvida sem que o adversário tenha hipótese de a jogar ou de maneira a que faça a bola sair do campo de jogo.

BANDEJA

A pancada deve ser feita com um gesto ligeiramente aberto, para baixo, acima do ponto de impacto, e tentar transmitir à bola um efeito cortado. Através deste efeito conseguimos que a bola não suba depois de bater no chão e atingir a parede, mas sim que realize um trajeto curto e rápido que a puxe para o chão.

VÓLEI

A superfície da raqueta deve estar bem à frente do rosto. Na altura da pancada, a raquete não deve ir atrás do ombro. Deve-se rodar o ombro ligeiramente para trás e para cima, sempre com a superfície da raquete mais elevada do que o punho, com o pé contrário ao do braço sempre na posição adiantada. Um erro muito comum é levar a raqueta atrás da cabeça, o que exige mais tempo para a preparação do golpe. Ao acertar mais tarde na bola, faz com que esta suba, aumentando a probabilidade de errar.

LOB OU BALÃO

Devemos estar atrás da linha de serviço, já que à frente desta linha estaremos no que se convencionou chamar de “terra de ninguém”, onde o adversário pode mais facilmente devolver a bola para os nossos pés, uma das situações mais complicadas para quem defende. É essencial ter um bom lob (balão) para que haja tempo de subir à rede. É importante que seja seguro e profundo para que o adversário não possa terminar a jogada. Em caso de resultar curto, são grandes as hipóteses de o adversário ganhar o ponto. Quando o jogador ainda não está confortável com o jogo de fundo do campo, é aconselhável jogar por baixo sem balões.

Algo que deve estar claro para qualquer praticante de pádel é que deve sempre tentar “empurrar” o adversário para o fundo do campo, para assim ganhar a rede e ser mais fácil concluir o ponto. Mesmo que não consiga sequer acertar na bola nas primeiras tentativas, deve ao menos divertir-se a tentar.

Bom jogo!