Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Jéssica Augusto vence corrida de São Silvestre de Lisboa

Na já habitual guerra dos sexos foram desta vez as mulheres a sagrar-se vencedoras, com Jéssica Augusto a conquistar o primeiro lugar

Expresso

Comentários

Jéssica Augusto ficou em terceiro lugar nos Campeonatos Europeus de atletismo, em Zurique, em 2014

Walter Bieri / EPA

Partilhar

Foi uma São Silvestre diferente por vários motivos: pela primeira vez em nove edições, a versão lisboeta da corrida fez-se de dia e não de noite; e, ao contrário da edição anterior, a vencedora foi uma mulher, a atleta Jéssica Augusto, deixando as contas desequilibradas a favor do sexo feminino.

"Saio daqui bastante satisfeita, porque sinceramente não estava à espera. Estou atrasada nos treinos", justificou a atleta à SIC Notícias no final do percurso de 10 quilómetros que passa pelo coração de Lisboa. Questionada sobre o que a motivou a acelerar e sagrar-se vencedora, mesmo após a difícil subida da Avenida da Liberdade, Jéssica Augusto explicou: "Quando contornei a rotunda do Marquês [de Pombal] e entrei no último quilómetro, juntei todas as minhas forças. Espero que seja um bom presságio para o ano novo".

Em segundo lugar ficou o atleta do Sport Lisboa e Benfica Hermano Ferreira, o mais rápido do lado masculino, que prometeu no final da corrida ajustar contas com as mulheres na próxima edição e admitiu estranhar esta edição "matinal" da corrida, preferindo a versão noturna.

Este ano, cerca de nove mil participantes correram pela cidade de Lisboa nesta manhã do último dia de 2016, ajudando a consolidar a fama de uma prova que já se tornou tradição. Mais um passo na caminhada da candidatura da cidade a Capital Europeia do Desporto 2021, referiu Sónia Paixão, diretora do departamento de Desporto da autarquia, à TSF: "É precisamente este nível de eventos que nos coloca no caminho para 2021".

  • Corre, Silvestre, corre

    Modalidades

    Para quem faz da corrida um desporto ou apenas um lazer não há tradição desportiva mais emblemática no final de ano do que as corridas de São Silvestre, que amanhã junta nas ruas de Lisboa e da Amadora, milhares de atletas profissionais e amadores