Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Chega ao fim a carreira do homem que ganhou 62 medalhas

Sascha Kindred, campeão paralímpico, termina uma carreira de vinte e três anos. Para trás, deixa um percurso inspirador, no qual conseguiu mais de sessenta medalhas

Filipa Bulha Pereira

Sascha Kindred retirou-se aos 39 anos

Matthew Stockman/GETTY

Partilhar

Sascha Kindred. Não reconhece o nome? Nós apresentamos: aprendeu a nadar aos onze anos, estreou-se como nadador paralímpico aos 16, ganhou 62 medalhas em grandes campeonatos e foi sete vezes campeão paralímpico.

Tem paralisia cerebral (que lhe afeta o lado direito do corpo), mas o seu percurso notável diz que isso nunca foi um problema. Desde 1994, quando iniciou a carreira, que Kindred tem garantido um lugar no pódio. Percebe-se agora de onde vêm as 62 medalhas.

O primeiro título que conseguiu foi no ano 2000, em Sydney e, em 2002, foi considerado nadador paralímpico masculino do ano, através de uma votação global.

Na Austrália, em 2000, ganhou duas medalhas de ouro e, quatro anos depois, foi a vez de somar outras duas, mas desta vez em Atenas. 2008 foi o ano de Beijing, onde conseguiu mais duas medalhas douradas. Ora, duas mais duas, dá quatro, e mais duas seis. Então e a sétima?

Bom, a medalha de ouro número sete veio em 2016, nos Jogos Olímpicos do Rio... mas não foi fácil. Kindred foi desqualificado e, após um recurso, foi reintegrado. Surpresa das surpresa: depois de tudo isto, chegou mesmo ao primeiro lugar do pódio.

"Estou feliz com o que consegui na minha carreira. É altura de pendurar os óculos e passar ao próximo capítulo", comentou com a associação de imprensa desportiva. "Nem toda a gente pode dizer que se reformou sendo campeão paralímpico e tendo conseguido um recorde mundial. É uma boa altura para o fazer".

Aos 39 anos, Sascha Kindred despede-se assim de duas décadas em cima dos pódios e fica na história como um dos melhores atletas paralímpicos de todos os tempos.

Partilhar