Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Guiões, cobras, cupcakes, porco agridoce, desgraças, enfim, o fim de semana desportivo em cinco pontos

Houve vitórias dos três grandes na mesma jornada (e isso não é assim tão normal), houve um clube grande a escorregar em casa do último e um clube que o ano passado era grande e este ano nem por isso. Também temos um coração dividido e pastelaria em forma de bola de basquetebol. Foi um fim de semana cheio e está aqui um resumo

Lídia Paralta Gomes

FRANCISCO LEONG/Getty

Partilhar

1. Um bom guião, um Tiquinho de golo e uma cobra com cornos

É fim de semana, há jornada do campeonato nacional e os três grandes ganham. Não é notícia? Quem disse? É que esta foi a jornada 21 e desde a 15ª, ali em meados de dezembro, que Benfica, FC Porto e Sporting não venciam na mesma ronda.

Não foi fácil e no domingo o Sporting até esteve quase a manter a tendência de pelo menos um dos grandes perder pontos mas, depois de um autogolo de Bruno César e de duas asneiras de Rui Patrício, a reviravolta em Moreira de Cónegos fez-se com recurso a um guião original protagonizado por Daniel Podence, o miúdo que contrariou os que dizem que não se deve voltar ao sítio onde se foi feliz - ainda há quinze dias o extremo andava a ganhar Taças da Liga pelo Moreirense.

Umas 24 horas antes, uns quantos quilómetros ao lado, em Guimarães, Soares voltou a marcar, provando que se calhar o que faltava ao FC Porto, que não vencia no D. Afonso Henriques desde 2013, era um Tiquinho assim.

Já o Benfica jogou na sexta-feira, mas derivado a dar-nos jeito, vamos contar como fim de semana. Venceu tranquilamente o Arouca por 3-0, com o último golo a ser marcado pelo mal-amado Carrillo, a Culebra que parece finalmente renascida. Já lá diziam naquela série japonesa dos anos 70 que na tradução britânica recebeu o nome de “The Water Margin”: “Não desprezes a cobra por ela não ter cornos, quem te garante que não se vai transformar num dragão?”. E não estamos a falar de símbolos de outros clubes, descansem.

2. Leicester: da glória ao filme de terror

Quanto maior é a subida, maior é a queda e o trambolhão do Leicester está a caminho de ser histórico. Isto porque só uma vez na história da principal divisão do futebol inglês um clube foi campeão e desceu no ano seguinte (o Manchester City, em 1937/38) e a equipa de Claudio Ranieri está com vontade de fazer companhia aos citizens nesta infame lista. No domingo, o Leicester foi derrotado em Swansea por 2-0, naquele que foi o 15º jogo seguido sem ganhar fora. Desde o início do ano que o Leicester não marca golos e está apenas a um ponto da zona de despromoção. E já aqui escrevemos que caso o escândalo aconteça, quem mais vai sentir são os bolsos dos jogadores.

Isto em Leicester só lá vai mesmo com mimo

Isto em Leicester só lá vai mesmo com mimo

Stu Forster/Getty

3. Antes de Lisboa, o Dortmund treme

Isto de ser Thomas Tuchel é, por estes dias, como ir a um restaurante chinês e pedir porco com molho agridoce. Por um lado, o técnico alemão que substituiu Jurgen Klopp no Borussia Dortmund continua a ser falado para os grandes da Europa, nomeadamente para o Arsenal, caso Wenger saia. Por outro, na Bundesliga as coisas não vão correndo às mil-maravilhas e depois de um início de campeonato fulgurante, com um futebol total de fazer o coração de qualquer amante da modalidade bater mais rápido, o Dortmund já está a 15 pontos do líder Bayern Munique.

Este fim de semana, o Borussia Dortmund perdeu com o último classificado, o Darmstadt, por 2-1. Tuchel disse que a derrota foi merecida, que os jogadores não jogaram no limite e alguns desses jogadores não gostaram. “Não me parece que haja na equipa alguém desinteressado”, atirou o guardião Burki. Boas notícias para o Benfica, que joga esta terça-feira com os alemães nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões e pode muito bem aproveitar o alvoroço que se vive nas hostes rivais.

O Dortmund já perde com o último da Bundesliga. À atenção do Benfica

O Dortmund já perde com o último da Bundesliga. À atenção do Benfica

DANIEL ROLAND/Getty

4. O Benfica-Sporting também se joga nas pistas

Este fim de semana disputaram-se os Campeonatos de Portugal de pista coberta e, para não variar, Benfica e Sporting dividiram quase todos os títulos. Dividido entre o coração e o dever também esteve Nelson Évora, nada que não esteja bem resolvido na cabeça do campeão olímpico em Pequim’2008, que foi mais uma vez campeão nacional no triplo, mas agora com cores diferentes, depois de trocar a Luz por Alvalade.

“Compreendo que os benfiquistas amem o seu clube e que gostassem que continuasse lá. Sou benfiquista desde pequeno, não é por representar o Sporting que deixo de ser benfiquista! Mas tenho de ser o mais profissional possível. Sempre o fui também com o Benfica. Cumpri o contrato, fui moralmente correto, dei prioridade ao clube. Não posso dizer que me rejeitou, mas ignorou-me e tive de fazer-me à vida”, explicou o atleta, em Pombal.

O coração de Évora é vermelho, mas agora o atleta vence de verde e branco

O coração de Évora é vermelho, mas agora o atleta vence de verde e branco

TIAGO PETINGA/Lusa

5. Durant voltou a Oklahoma, chamaram-lhe cupcake e houve sangue

Kevin Durant é, assim de repente, um dos três melhores jogadores da NBA neste momento e no último verão deixou a sua equipa de sempre, os Oklahoma City Thunder, onde era um absoluto herói, para ir atrás do título na super-equipa dos Golden State Warriors. E este sábado, no regresso a Oklahoma, o extremo, conhecido por ser bom menino, foi recebido com alguns insultos e cartazes com cupcakes, numa alusão ao seu feitio, digamos, fofinho.

Perante tamanha hostilidade, o Kevin fofinho tornou-se no Kevin assassino e destruiu a antiga equipa com 34 pontos e 9 ressaltos. Foi o melhor marcador dos Warriors, que venceram por 130-114. E no final, deixou o recado: “Os meus cupcakes preferidos são os red velvet, por isso para a próxima vejam lá se os têm”. Cupcakes vermelhos, como o sangue que Durant fez derramar na sua antiga casa.

Para a próxima tragam cupcakes de red velvet, que Durant gosta mais

Para a próxima tragam cupcakes de red velvet, que Durant gosta mais

J Pat Carter/Getty

Partilhar