Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Elas já podem entrar no clube de golfe que era só deles. Bem-vindos ao século XXI

Com esta alteração no regulamento, 273 anos depois as mulheres vão ser aceites como membros do Muirfield e este percurso escocês poderá candidatar-se a receber, de novo, o British Open, um dos quatro torneios do Grand Slam da modalidade

As golfistas do sexo feminino podem finalmente juntar-se ao clube de golfe de Muirfield, na Escócia

Jeff J. Mitchell/Getty

Partilhar

Quase três séculos depois, as mulheres vão poder (finalmente) ser membros do Muirfield. O clube de golfe escocês foi, esta terça-feira, pela segunda vez a votos. Até agora, elas apenas podiam entrar como visitantes. O estatuto de membro era exclusivo para eles.

“Esta é uma decisão significativa para o clube que foi fundado em 1744, que manteve muitos dos valores e aspirações dos membros fundadores. Mal podemos esperar por dar as boas-vindas às mulheres, que vão desfrutar e beneficiar das grandes tradições e do espírito amigável deste notável clube ”, disse Henry Fairweather, capitão do Muirfield, citado pela Associated Press.

A questão de integrar mulheres no clube não é uma discussão nova. Em maio do ano passado foi a votos, mas ao contrário do que aconteceu esta terça-feira não conseguiu obter mais de dois terços da maioria votante. Como não aceitou mudar, o Muirfield deixou de fazer parte da lista de dez clubes que poderiam receber o prestigiado British Open. A nível económico, para a zona de East Lothian, significaria uma perda de cerca de €94 milhões.

Agora, na segunda votação, 80,2% dos votantes aceitaram a alteração. E vão reintegrar o grupo de anfitriões do torneio. “A história de Muirfield como anfitrião do Open é longa e importante. Com o anúncio de hoje poderá continuar [a recebê-lo]. É extremamente importante para nós, ao organizarmos um dos maiores eventos desportivos, que as mulheres possam ser membros de todos os clubes anfitriões. Estamos ansiosos para levarmos o torneio novamente para o Muirfield”, considerou Martin Slumbers, do Royal and Ancient Golf Club of St Andrews, conhecido como a “Casa do Golfe” e responsável pela organização do British Open.

O clube é propriedade da Honourable Company of Edinburgh Golfers, o mais antigo clube de golfe do mundo.

Apesar de a medida entrar em vigor imediatamente, ainda vai demorar até que elas sejam membros do clube. Há uma lista de espera para novos afiliados de “pelo menos dois ou três anos”, independentemente de serem homens ou mulheres.

Segundo a Associated Press, a admissão de mulheres como membros tem sido uma medida adotada pelos clubes de golfe que recebem o British Open, após centenas de anos sem permitirem que isso acontecesse. Em 2014, o Royal and Ancient Golf Club, responsável pela organização do torneio, quebrou a tradição com 260 anos. E no ano passado,foi a vez do Royal St. George e do Royal Troon seguir o exemplo.