Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

O Benfica foi ao norte festejar, acabou-se o Espírito Santo para o Porto e 33 foi a conta que Ronaldo fez

O Benfica foi campeão com um empate no norte, Espírito Santo pode estar de saída, aqui ao lado, Ronaldo é campeão. Assim foi o fim de semana desportivo

Cláudia Alves Fernandes

O Benfica foi ao Estádio do Bessa empatar frente ao Boavista

FRANCISCO LEONG

Partilhar

1. O Benfica foi ao norte festejar, apesar do empate no Bessa

A Liga fechou com um empate do campeão. As águias deslocaram-se ao estádio do Bessa para um empate a duas bolas. E, claro, para comemorar o campeonato.

No jogo de sábado, Rui Vitória não falhou a cumprir promessas: o treinador deixou que mais quatro jogadores fossem campeões, passando para 32 o número de águias que ajudaram a levar o título para a Luz.

O Boavista conseguiu marcar golos, outra vez, e são cinco em dois encontros. Depois de na Luz ter estado a ganhar por 3-0, acabou por deixar as águias chegarem ao empate. Agora, em casa, as panteras já somavam 2-0, mas viram o marcador do visitante subir até ao empate. De novo.

A festa dos boavisteiros começou cedo, aos 16 minutos com um golo de Renato Santos, servido quentinho por Fábio Espinho. A folia continuou logo a seguir ao intervalo, com Schembri a aumentar a vantagem. Mas as águias não se ficaram e o Boavista nada (ou pouco) fez para as impedir. Já com Rafa em campo, o português assistiu Mitroglou que, por sua vez, conseguiu reduzir a vantagem do marcador.

Mas o homem do jogo foi Kalaica. O central resolveu o jogo, quando o Benfica já via a despedida da Liga com uma derrota e, nas bancadas, os axadrezados festejavam. Ao minuto 90, o croata de 18 anos estreou-se e empatou de cabeça, num golo que desfez os sonhos dos boavisteiros.

O jovem juntou-se a Lisandro Lopez (no Dragão) e a Lindelöf (em Alvalade), na lista de centrais que evitaram a derrota das águias.

2. Porto sai da Liga derrotado e sem bênção do Espírito Santo

Foi um Porto com problemas que se apresentou em Moreira de Cónegos. E foi esse mesmo Porto que deixou que os anfitriões continuassem a competir entre os grandes na próxima temporada - será a quarta época consecutiva.

O Moreirense conseguiu um impressionante 3-1 perante um dragão já sem chama. E foi a ousadia de Petit que levou o triunfo aos minhotos: num quarto de hora, o Moreirense inaugurou o marcador com Boateng a cabecear, no primeiro passo para a vitória, e a bater o estreante José Sá, na baliza.

Aos 35, Maciel estreou-se com os olhos postos em cima: pela primeira vez a titular, o francês de 23 anos foi lançado por Boateng e não deixou que o guardião azul e branco fizesse o seu trabalho. Já na segunda parte, os azuis e brancos reduziram a diferença - por Maxi Pereira -, mas o Moreirense não se ficou e repôs a vantagem de dois golos, com Alex a selar as contas da manutenção.

O FC Porto foi a Moreira de Cónegos reforçar os erros cometidos ao longa da época e com a derrota conseguiu ainda perder o estatuto de melhor defesa da Liga.

O pior da época portista ficou guardado para o fim, com Espírito Santo a errar e a conduzir o FC Porto à segunda derrota do campeonato

Agora, o técnico pode estar de saída do Porto, segundo avança a Rádio Renascença. O falhanço de todos os objectivos para a época - os azuis e brancos não levaram para casa qualquer troféu esta época - a juntar à derrota em Moreira de Cónegos na última jornada é o fim de linha pré-anunciado.

O FC Porto fecha a época a seis pontos do líder e com outros tantos sobre o Sporting.

3. Sporting fecha a época com vitória sobre o Chaves

Os sportinguistas despediram-se da Primeira Liga com honra e venceram o Chaves por 4-1 em casa. O triunfo foi conseguido graças à qualidade de Bas Dost que fez os leoninos vibrarem por três vezes.

Aos 11 minutos, de penálti, o holandês inaugurou o marcador. Ainda na ressaca do golo, aos 15 minutos, Bas Dost deixou o Sporting jogar descansado e somou mais um golo. Aos 30 minutos, o Sporting respirava de alívio, com o marcador a mostrar uns orgulhosos 3-0, por Matheus Pereira. Já na primeira parte, o Desportivo de Chaves tinha poucas hipóteses de recuperação.

Mas o Chaves não podia ir para casa a seco. Assistido por Nelson Lenho, aos 60 minutos, William reduz a vantagem em Alvalade. Bas Dost estava inspirado e respondeu já no prolongamento: aos 90 + 1, outra vez de penálti, Bas Dost foi eficaz e não desperdiçou. Estava fechado o marcador. A somar 34 golos, o jogador reforçou o estatuto de melhor marcador da Liga, com metade dos golos do sporting no campeonato.

No fim do jogo, Jesus elogiou os adeptos leoninos e valorizou a sua presença no estádio: “Quando não ganhas, arranja-se várias questões que podes apontar à equipa. Se não ganhas há sempre qualquer coisa que não está bem. Queríamos acabar com uma vitória e os adeptos demonstraram que estão com a equipa. A presença de 32 mil pessoas é importante. Fizemos uma primeira meia hora espetacular e golos com facilidade”, disse Jesus à Sport TV.

Além disso, o técnico leonino assumiu ainda a época difícil que o Sporting enfrentou. “Fizemos 70 pontos esta época, menos 14 do que a temporada passada. É uma diferença muito grande. Este ano o campeão fez 82 pontos, o ano passado fizemos 86. Mas foi o que foi e temos de assumir”.

4. 33 foi a conta que Ronaldo fez

O Real Madrid foi campeão em Málaga com um golo do português. Os merengues somam 33 títulos depois de vencerem o Málaga por 2-0 na última jornada do campeonato. Na mesma jornada, o Barcelona venceu o Eibar por 4-2.

A festa madrilena começou cedo com Cristiano Ronaldo a inaugurar aos dois minutos. O francês Benzema confirmou a festa já depois do intervalo (aos 55 minutos). Está então quebrado o jejum, que durava desde que o “Special One” foi campeão no Real, em 2012.

O Barcelona (que soma quase menos 10 títulos do que o seu grande rival – 24), esteve a perder por 2-0 no Camp Nou, mas acabou por dar a volta, com um bis de Messi (4-2 foi o resultado final), mas insuficiente para renovar o título de campeão.

Já como campeão, Cristiano deixou ainda duras críticas: “Estão sempre com duas pedras nas mãos quando vou falar. Não sou um santo mas também não sou o diabo que muitos dizem que sou. Não gosto disso porque tenho família, mãe, filho e não gosto que me ponham ao nível dos que fazem asneiras, quando eu não as faço”, explodiu Cristiano na zona mista do estádio do Málaga.

5. Open de Roma: Zverev derruba Djokovic e é campeão

O alemão de 20 anos derrubou o sérvio e conquistou o primeiro grande título da carreira. Com quase 10 anos de idade a separar o alemão do sérvio - Djokovic conta 29 anos de idade - o jovem impôs-se e sagrou-se campeão com os parciais de 6-4 e 6-3.

Além de conquistar o Masters 1000, Zverev levou para casa outra coisa: o tenista é o mais jovem a conquistar este título. Com esta vitória, o alemão, que ocupava a posição 17 do ranking da ATP, sobe 7 posições e entra diretamente para o top10.

Zverev é o mais novo a figurar no top 10 desde 2008, quando o argentino Juan Martin del Potro ocupava lugar também nesse top.