Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Morreu Betty Cuthbert, a “atleta de ouro” que a Austrália deu ao mundo

Surpreendeu em 1956, com 18 anos, quando de uma assentada ganhou três medalhas de ouro em provas de atletismo nos Jogos Olímpicos de Melbourne. Ninguém a conhecia, mas nunca mais ninguém a esqueceu. Betty Cuthbert tinha 79 anos

Mafalda Ganhão

Partilhar

Betty Cuthbert foi pioneira no seu país natal, ao conquistar três medalhas de ouro numa mesma edição dos Jogos Olímpicos, em Melbourne, em 1956

Betty Cuthbert foi pioneira no seu país natal, ao conquistar três medalhas de ouro numa mesma edição dos Jogos Olímpicos, em Melbourne, em 1956

Foto Getty Images

Em 1956, com 18 anos e entusiasmada com a realização dos Jogos Olímpicos em Melbourne, Betty Cuthbert comprou bilhetes para assistir às provas. Reza a história que a jovem atleta, de cabelos muito louros e nascida no estado de Nova Gales do Sul, não acreditava que pudesse ser escolhida para representar a Austrália. A velocista que morreu este domingo, aos 79 anos, era então uma corredora desconhecida, cujo lugar como espetadora não surpreenderia ninguém.

Mas a boa forma revelada pouco antes do início dos Jogos não a deixou sentar-se nas bancadas. Ao conseguir resultados que ensombraram as recordistas suas colegas - Shirley Strickland e Marlene Mathews - Betty conquistou por mérito um lugar na equipa australiana. Entrou no estádio quase anónima, mas a velocidade surpreendente fê-la subir por três vezes ao lugar máximo no pódio, acumulando com as medalhas o estatuto de “menina de ouro” do atletismo nacional. Em Melbourne, nasceu uma estrela.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)