Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Inês Henriques: ouro e recorde do mundo nos 50 km Marcha (atualizado, com declarações)

Inês Henriques sagrou-se esta manhã campeã do mundo dos 50 km Marcha, nos mundiais de atletismo que decorrem em Londres. A atleta portuguesa, recordista mundial na distância, terminou a prova - disputada pela primeira vez por atletas femininas - em 4h05m56s.

Ricardo Marques

Bryn Lennon

Partilhar

Estiveram apenas sete atletas femininas, integradas na prova masculina, devido ao atraso na decisão do tempo mínimo para participar na distância.A portuguesa saiu na frente e fez parte considerável do percurso na companhia de uma atleta chinesa, antes de se isolar e passar, literalmente, a marchar contra o relógio.

Sozinha, com um chapéu branco, sapatilhas pretas e óculos escuros, Inês Henriques entrou para os últimos dois quilómetros com a certeza de que tinha à sua mercê uma nova marca mundial. Mantendo um ritmo forte, foi deixando as perseguidoras, duas chinesas, cada vez mais para trás.

Eram 11h52 em Lisboa quando a Inês Henriques, 37 anos, cortou a meta, com uma bandeira de Portugal na mão, fixando um novo recorde mundial: 4h05m56 segundos. O anterior recorde já era seu, obtido 15 de janeiro de 2017 em Porto de Mós.

No final da prova de Londres, Inês Henriques disse que ainda não conseguia "acreditar". "Ao terminar e verificar que consegui concretizar esse grande sonho foi fantástico. Ainda não acredito muito bem". A atleta portuguesa destacou os 25 anos de carreira e de trabalho. "Nunca fui um talento, sempre fui muito trabalhadora e isto serva para dizer que podemos não ser fantásticos, mas que se trabalharmos podemos lá chegar. E isso devo-o aos meus pais. Eles devem estar muito orgulhosos e o meu pai, que é sempre muito forte, de certeza que hoje lhe veio a lágrima aos olhos"

A atleta de Rio Maior considerou também que a vitória e o recorde do mundo tiveram um sabor ainda mais doce por ter sido a primeira prova de 50 km Marcha feminina nos mundiais de atletismo. "A primeira conquista foi as mulheres estarem cá. Consegui voltar a fazer recorde do mundo, mas queria demonstrar que as mulheres podem fazer isto. É duro."

Outra atleta portuguesa, Ana Cabecinha, terminou em sexto lugar a prova de 20 km Marcha, que começou logo após o fim dos 50km.

  • Inês Henriques: “Já estava num estado em que podia cair para o lado a qualquer momento”

    Entrevistas Tribuna

    Há meses que só pensava em ser dona do recorde do mundo que conseguiu, no domingo, por Porto de Mós, Leiria. Inês Henriques, aos 36 anos, tornou-se na mulher mais rápida do planeta a marchar durante 50 quilómetros. Diz que isto sempre lhe foi natural, porque vem de Rio Maior, o “sítio onde nasceu a marcha” em Portugal, e queixa-se que não há mais miúdos a marchar por culpa do telemóveis e dos computadores. De riso fácil, acordou a sentir-se bem depois de mal se aguentar em pé no final da prova

  • Susana Feitor destaca trabalho exemplar de Inês Henriques

    Modalidades

    A marchadora Susana Feitor felicitou este domingo Inês Henrique pelo feito histórico. Ao telefone, diz que espera que este seja um acontecimento com impacto na prática da disciplina e refere que marcas como as de Inês Henriques no mundial, apenas se conseguem com muito empenho e dedicação quase exclusiva à modalidade.