Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Uma semana com um interrail até ao leste europeu, o combate que todos esperam, uma Vuelta sem panos quentes e pagaiadas até às medalhas

Muito futebol deles e delas, lá fora e cá dentro, Mayweather e McGregor frente a frente, os melhores das duas rodas a pedalar no sobe e desce espanhol e os canoístas portugueses em busca de bons resultados no Mundial de Racice: há muito e bom desporto para ver esta semana

Lídia Paralta Gomes

MIGUEL A. LOPES/EPA

Partilhar

Para a Europa, em força e a massacrar o conta-quilómetros: um filme com o Sporting a leste (eles e elas), o Marítimo também e Sp. Braga em casa

Neste semana de decisões, dirá muito boa gente que a Europa está a um pequeno passo das equipas portuguesas. Bem, mais ou menos. Levando a coisa à letra e deixando para lá as metáforas, está mais a muitos milhares de quilómetros, lá para leste.

Senão vejamos: o Sporting joga na quarta-feira com o Steaua de Bucareste, a 3900 quilómetros de Lisboa, por um lugar na fase de grupos da Liga dos Campeões (às 19h45 na RTP1 e Sport TV1), depois do nulo em Lisboa.

E os rapazes não são os únicos com a Champions debaixo de olho. Isto porque a equipa feminina do Sporting, campeã nacional em título, vai disputar a fase de grupos de qualificação para a Liga dos Campeões, um mini-torneio em Budapeste, a 3100 quilómetros da capital portuguesa, cidade onde vai jogar esta terça-feira, sexta-feira e segunda-feira com as cazaques do BIIK-Kazygurt, as anfitriãs MTK e as kosovares do Hajvalia, respetivamente.

Passam aos 16-avos de final da Champions feminina os vencedores dos 10 grupos de qualificação, bem como o 2.º classificado com melhor registo face ao 1.º e ao 3.º do seu grupo.

Marítimo vai a Kiev tentar a qualificação para a fase de grupos da Liga Europa

Marítimo vai a Kiev tentar a qualificação para a fase de grupos da Liga Europa

HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

Depois da Champions, passemos à Liga Europa. O Sp. Braga, após uma longa viagem até à Islândia (de Braga a Hafnarfjordur são 5200 quilómetros), joga em casa na quinta-feira e com uma vantagem de 2-1 frente ao FH que coloca a qualificação para a fase de grupos já meio encaminhada (às 19h45, na Sport TV1)

Já o Marítimo vai ter de pegar nas malinhas e tentar no mesmo dia uma complicada qualificação em Kiev - e do Funchal à capital da Ucrânia são 4300 quilómetros - depois do 0-0 da 1.ª mão com o Dínamo (às 17h45, na Sport TV1).

Campeonato nacional: Benfica a norte, Sporting em Alvalade e um Sp. Braga-FC Porto

Após a quilometragem europeia, no fim de semana há Liga e Benfica, Sporting e FC Porto têm três jogos bons, bons, bons. Ainda para mais depois da desnivelada ronda passada. Assim, logo para começar, o Benfica viaja até Vila do Conde, a casa da única equipa além dos grandes que não sabe o que é perder pontos neste campeonato: o Rio Ave (sábado, às 20h30, na Sport TV1).

Rio Ave e Benfica, duas equipas que ainda não perderam pontos neste campeonato

Rio Ave e Benfica, duas equipas que ainda não perderam pontos neste campeonato

MIGUEL RIOPA/Getty

No domingo, mais dois jogos sumarentos - e seguidinhos. Às 18h00, o Sporting recebe o Estoril (na Sport TV1) que, para lá das duas vitórias nos dois últimos jogos, é umas das equipas me melhor futebol tem apresentado neste início de campeonato. Apito final em Alvalade e vamos logo para a Pedreira, para o jogo grande da jornada, um Sp. Braga-FC Porto historicamente complicado para os dragões.

Mayweather vs McGregor: um combate de milhões

O epíteto “Combate do Século” tem sido usado de forma algo leviana, assim que o melhor mesmo é tratar o duelo entre Floyd Mayweather e Conor McGregor como um combate, no mínimo, diferente. Isto porque frente a frente estarão provavelmente as duas maiores figuras dos desportos de combate dos últimos anos, mas que praticam artes distintas: Mayweather é do boxe, McGregor é das artes marciais mistas. Mas pelo mediatismo de cada um (e pelos milhões que fazem girar) a verdade é que este era um combate destinado a acontecer.

Um duelo que pode valer 530 milhões de euros

Um duelo que pode valer 530 milhões de euros

Matthew Lewis/Getty

Em 2015, McGregor lançou a primeira pedra e após dois anos de avanços e recuos, é no sábado (já madrugada em Portugal, a transmissão arranca à meia-noite na Sport TV1) que o ‘show’ vai acontecer, na T-Mobile Arena, em Las Vegas. Um combate que deverá gerar qualquer coisa como 530 milhões de euros em receitas, entre vendas de bilhetes, transmissões televisivas, patrocinadores, merchandise e apostas.

Vuelta: primeira semana sempre a abrir

Lá porque estamos na primeira semana da Volta a Espanha, queriam paninhos quentes? Pois, não vai acontecer. A etapa desta segunda-feira, com final em Andorra La Vella, dá-nos logo duas contagens de montanha de 1.ª categoria e uma de 2.ª a apenas 7 quilómetros da meta. E depois de um pequeno descanso na terça, começa outra vez o martírio, com duas etapas “rompe-pernas”, daquelas chatas, pintalgadas de contagens de montanha de 2.ª categoria por todo o lado (e que Rui Costa costuma gostar).

Gente como Froome, Bardet, Aru e Contador já terá muito que fazer na primeira semana da prova

Gente como Froome, Bardet, Aru e Contador já terá muito que fazer na primeira semana da prova

Javier Lizon/EPA

No fim de semana, mais montanha, desta vez mais a sério. No sábado há uma contagem de 1.ª categoria a 3 quilómetros da meta, em Xorret de Catí e no dia seguinte a etapa acaba mesmo lá em cima, na 1.ª categoria do Alto de Puig Llorença. Mesmo à medida de gente como Froome, Bardet, Aru ou Contador (todos os dias na Eurosport, a partir das 14h).

Mundiais de canoagem: a pagaiar é que se vai ao longe

Quando o tema é pagaiadas, já sabemos que podemos sempre estar à espera de coisas boas. Sejam elas medalhas ou finais em catadupa, porque a canoagem portuguesa normalmente não faz por menos.

Esta semana há Campeonatos do Mundo, em Racice, na República Checa, e entre quinta-feira e domingo serão 13 os canoístas portugueses à procura de medalhas e também de mais experiência já com os olhos nos próximos Jogos Olímpicos, daqui a três anos, em Tóquio.

Depois do título europeu, Fernando Pimenta é um dos candidatos ao título mundial no K1 1000

Depois do título europeu, Fernando Pimenta é um dos candidatos ao título mundial no K1 1000

DAMIEN MEYER/AFP/Getty Images

Entre o grupo destaca-se Fernando Pimenta, que ainda há poucas semanas se sagrou bicampeão europeu do olímpico K1 1000 e que em Racice vai procurar o ouro na mesma distância, feito que seria inédito no seu extenso currículo.

De regresso às grandes competições estará também o K2 1000 de Emanuel Silva e João Ribeiro, embarcação que foi 4.ª nos Jogos Olímpicos do Rio. Os dois atletas vão também atacar o K4 500 com David Fernandes e David Varela.