Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Presidência da República responde a acusações feitas pelo ciclismo: “Marcelo produz toneladas de felicitações”

Associação de Ciclismo do Minho e Federação Portuguesa de Ciclismo acusam Marcelo Rebelo de Sousa de discriminar positivamente o futebol em relação às restantes modalidades

Expresso

José Caria

Partilhar

A Presidência da República lamenta as acusações, defendendo que Marcelo Rebelo de Sousa “produz toneladas de felicitações”. “Basta fazermos uma pesquisa no site da Presidência e encontramos lá tudo e em relação a várias modalidades”, diz ao Expresso o assessor de Marcelo Rebelo de Sousa, Paulo Magalhães.

O assessor refere que Marcelo Rebelo de Sousa já condecorou “vários atletas olímpicos, como Nelson Évora, Inês Henriques e João Gonçalves”, não se restringindo apenas ao futebol, e defendeu que os campeonatos europeus de futsal e futebol realizam-se de quatro em quatro anos, “sendo diferente do ciclismo, que tem campeonatos anuais”.

As queixas do ciclismo surgem um dia depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter recebido em Belém os campeões da Europa de futsal. O presidente da Associação de Ciclismo do Minho, José Luís Ribeiro, não se conforma com “o tratamento de discriminação de Marcelo Rebelo de Sousa”, afirmando que o Presidente da República “não trata com equidade todas as modalidades e os feitos desportivos dos portugueses”. Esta é a segunda vez que José Luís Ribeiro escreve a Marcelo Rebelo de Sousa, questionando se o Presidente da República “vai persistir no tratamento diferenciado das modalidades desportivas”.

“Em 2015, escassos quatro meses depois de ter vencido o Campeonato do Mundo de Futebol de Praia, o Senhor Presidente da República condecorou atletas, técnicos e dirigentes da Seleção Nacional de futebol de praia e o próprio Presidente da Federação Portuguesa de Futebol. O ciclista português Rui Costa venceu no dia 29 de setembro 2013 o Campeonato do Mundo de Ciclismo de Estrada mas - depois de muitas pressões nesse sentido – só vinte meses depois é que foi distinguido”, recorda José Luís Ribeiro na carta endereçada a Belém.

O dirigente não retira valor aos campeões europeus de futsal, recebidos domingo em Belém e que irão ser agraciados com as insígnias de Ordem do Mérito, mas queixa-se de falta de critérios na atribuição de louvores aos atletas nacionais, selecionadores e dirigentes de outras modalidades “menos populares”.