Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Futsal: dérbi lisboeta acaba empatado (2-2)

Benfica e Sporting empataram esta sábado na 18.ª jornada da fase regular. Os leões continuam na frente do campeonato, com 53 pontos. O Benfica em segundo, com 48 pontos

Lusa

José Sena Goulão/LUSA

Partilhar

Sporting e Benfica empataram este sábado 2-2, no encontro da 18.ª jornada do campeonato nacional de futsal. Um encontro muito equilibrado e que terminou com uma série ‘leonina’ de 17 partidas consecutivas a vencer.

Os tentos de Fábio Cecílio (5') e Fernandinho (16') pareciam dar o rumo da vitória ao Benfica, mas Dieguinho (19') e Pany Varela (34') recolocaram o Sporting no jogo e consequentemente confirmaram o primeiro lugar dos lões da fase regular, com 53 pontos, face aos 48 dos encarnados.

Separados por seis pontos na tabela à partida para este encontro, o Sporting foi quem entrou mais confortável dentro da quadra, aproveitando bem o espaço que os encarnados ofereceram, pecando apenas na finalização, por intermédio de Divanei e Merlin.

Só já perto do décimo minuto da 1.ª parte, e numa altura de algum relaxamento ‘leonino', a equipa de Joel Rocha dispôs de uma soberana chance para passar para a frente do jogo, mas Raúl Campos, assistido por Robinho, desperdiçou ao ver Caio Japa cortar sobre a linha de golo.

Contudo, a melhor defesa do campeonato (21 golos sofridos) desmoronou-se num lance de genialidade do português Fábio Cecílio, ao fazer um ‘túnel' a Dieguinho e a ser mais forte no frente a frente com André Sousa.

O Benfica remeteu o Sporting para o seu meio campo, obrigando os leões a jogarem curto e apostando na meia distância, que teve consequências com mais um tento encarnado. André Sousa combinou bem com Fernandinho, que se limitou a empurrar para a baliza deserta.

Ainda assim, os bicampeões nacionais conseguiram ir para o intervalo a perder pela margem mínima, com Dieguinho a redimir-se da culpa que teve no golo sofrido, com um belo remate à meia volta.

O Sporting voltou dos balneários a ter que correr atrás do prejuízo, arriscando mais no último passe e pressionando as águias, que preferiram jogar nas transições rápidas. Pedro Cary e Caio Japa foram perdulários, quando podiam ter feito melhor em ambas as ocasiões.

Apesar de curto, o resultado era confortável para o Benfica, que abusou em demasia da vantagem, permitindo ao Sporting chegar mesmo à igualdade. Pany Varela repôs a igualdade, num remate que contou com a ajuda de guarda redes Cristiano.

Os últimos dois minutos foram verdadeiramente frenéticos no pavilhão da Luz, com o Benfica conquistar uma grande penalidade, devido a uma agressão de João Matos a Tiago Brito, mas Raúl Campos atirou à barra.