Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Velejador da Volvo Ocean Race continua perdido no mar

Inglês John Fisher caiu ao mar na segunda-feira e continua desaparecido, apesar das operações de busca e resgate ainda não terem parado. O velejador é colega do português António Fontes, na equipa SHK / Scallywag, que disputa a Volvo Ocean Race

Alexandra Simões de Abreu

O velejador inglês John Fisher, da equipa SHK / Scallywag, caiu ao mar durante a Volvo Ocean Race 2017/18

Jeremie Lecaudey/Volvo Ocean Race

Partilhar

O acidente ocorreu quando o barco navegava a 1.400 milhas (2.600 quilómetros) a oeste do cabo Horn, durante a disputa da sétima etapa da Volvo Ocean Race, entre Auckland (Nova Zelândia) e Itajaí (Brasil).

John Fisher, de 47 anos, caiu ao mar no ponto mais meridional da América do Sul, numa localização remota onde as condições meteorológicas são muito adversas - vento de 35 nós (mais de 60km/h), ondas de seis metros e temperatura da água a rondar os 9 graus Celsius.

A equipa, juntamente com o Centro de Coordenação de Resgate Marítimo (MRCC), está a realizar uma operação de busca e resgate para recuperar o tripulante, esta terça-feira.

O velejador inglês usava o equipamento de sobrevivência quando caiu ao mar, mas tendo em conta o tempo que passou, a temperatura da água fria e o estado extremo do mar, as esperanças de encontrar John Fisher com vida são praticamente nulas.

Em comunicado, Richard Brisius, CEO da Volvo Ocean Race, resume o estado de espírito de toda a organização: "Isto é de partir o coração a todos nós. Como velejadores e organizadores de regatas, perder um tripulante no mar, é uma tragédia que nunca queremos imaginar. Estamos arrasados ​​e os nossos pensamentos estão com a família do John, amigos e companheiros da sua equipa. Todos nós na organização Volvo Ocean Race enviamos nossas sinceras condolências à família do John, dos seus amigos e dos seus companheiros de equipa e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para apoiá-los neste momento tão difícil".