Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Recorde do mundo dos 50 quilómetros marcha já não é de Inês Henriques. “Desta vez, tive de baixar os braços”

Marchadora portuguesa abandonou a prova aos 29 quilómetros. Liang Rui, que nunca tinha marchado além dos 35 quilómetros, acabou na frente e com um novo recorde do mundo.

Filipa Silva

Bryn Lennon

Partilhar

Assistir a uma prova de 50 quilómetros marcha pode ser pouco recomendável para pessoas sensíveis. Há ali muito jogo de cintura. Corpos em movimento perpétuo. Músculos num teste de expressão mecânica coreografada ao milímetro. Rostos graves em esqueletos fluidos que empurram o asfalto para trás, à força de pernas.

Dar corda ao planeta com os pés pode parecer um exercício de beleza. Mas se há ali um ensaio, ele é primordialmente sobre a dureza.

Custa assim imaginar que só ao cabo de 26 anos de carreira esta tenha sido a primeira vez de Inês Henriques no capítulo das desistências. Mas foi. “Para quem me conhece sabe que desistir é o meu último recurso ainda mais a representar Portugal, foi a primeira vez em 26 anos de carreira", escreveu a marchadora este sábado depois de não ter terminado a prova dos 50 quilómetros, na China, onde decorre o Campeonato do Mundo de Nações de Marcha.

A portuguesa colocou um ponto final na corrida aos 29 quilómetros. “Comecei a ter problemas físicos e posteriormente tonturas. Tentei reverter a situação, diminuir o ritmo e procurar abastecer bem! Lutei até onde pude, mas desta vez tive de baixar os braços à minha luta”, descreveu a riomaiorense.

Aos 38 anos, a marchadora viu ainda fugir-lhe o recorde do mundo da distância que era seu desde agosto de 2017. Liang Rui, a chinesa que venceu a prova deste sábado, tirou cerca de um minuto à marca que a portuguesa estabeleceu em Londres.

A marchar em casa, Liang, que nunca tinha passado os 35 quilómetros, foi a mais veloz das três dezenas de bravas que se fizeram à estrada. 04h04:36 é a nova melhor marca do mundo, ficando a aguardar somente homologação.

Inês Henriques, por sua parte, promete continuar a dar corda ao planeta com os sapatos: “Os recordes são para serem batidos e hoje a atleta chinesa foi mais forte que eu e estabeleceu um novo recorde do mundo dos 50km, está de parabéns! Eu vou continuar a trabalhar com o objetivo de o voltar a bater!"

A China, que ficou também com o segundo lugar da prova (Yin Hang), foi a vencedora por equipas dos campeonatos que decorreram em Taicang. Claire Tallent da Austrália, fechou o pódio feminino. O atleta do Benfica Pedro Isidro participou na prova masculina, mas como Inês Henriques também não chegou à meta.