Tribuna Expresso

Perfil

motos

GP da República Checa: Miguel Oliveira, nono à chuva

A chuva marcou a corrida de Moto2, com Miguel Oliveira (Kalex) a ter um excelente comportamento no asfalto molhado de Brno, para terminar em nono, o segundo resultado do ano, depois do oitavo da Catalunha

Pedro Roriz

Comentários

FILIP SINGER/EPA

Partilhar

O piloto português soube evitar as “armadilhas” do traçado checo e lutou até ao final pelo sétimo lugar, mas optou por não correr riscos. Terminou em 9.º, tendo subido um lugar no campeonato.

O alemão Jonas Folger (Kalex), que largou de sétimo, mostrou-se muito à vontade em Brno e comandou a corrida de fio a pavio, enquanto o francês Johan Zarco (Kalex), que largou da “pole”, esteve muito longe daquilo que costuma fazer e não foi além do 11.º lugar, graças a várias quedas. Viu a vantagem pontual sobre o espanhol Alex Rins (Kalex), que foi segundo, descer para 19 pontos. O inglês Sam Lowes (Kalex) completou o pódio.

Foi preciso esperar 35 anos para que um piloto inglês voltasse a ganhar na categoria rainha do Mundial de Motociclismo. Cal Crutchlow (Honda) venceu pela primeira vez na categoria rainha (Moto GP). Fê-lo mesmo quando o asfalto começou a secar, tendo conseguido gerir da melhor maneira os pneus de chuva que equipavam a sua mota.

O facto de a chuva ter parado e de o asfalto estar a secar obrigou os pilotos a opções que determinaram a classificação da corrida, que foi declarada “molhada”. Por isso, aqueles que queriam trocar de motos, para passar a usar pneus de seco, tiveram de ir à box fazê-lo, com a consequente perda de tempo que isso implicou.

Foi essa a opção do espanhol Jorge Lorenzo (Yanaha), que terminou em último por não ter tido tempo para recuperar, enquanto o italiano Andrea Iannone (Ducati), que chegou a comandar a prova, terminou em oitavo, não por ter trocado de pneus, mas chegando ao final com os pneus “nas lounas”.

O italiano Valentino Rossi (Yamaha) e o espanhol Marc Marquez (Honda) completaram o pódio, com o segundo a cimentar a posição de comandante do campeonato, depois de uma corrida em que a Ducati “meteu” cinco pilotos nos oito primeiros, mas nenhum chegou ao pódio.

A Categoria Moto3 foi a mais penalizada pela chuva e acabou por permitir ao escocês John McPhee (Peugeot) alcançar a primeira vitória da sua carreira, que é, em simultâneo, a primeira da história da marca francesa.

O escocês venceu à frente do espanhol Jorge Martin (Mahindra) e do italiano Fábio Di Giannantonio (Honda), enquanto o comandante do campeonato, o sul-africano Brad Binder (KTM), caiu, como sucedeu com mais nove pilotos. Essa queda, porém, não colocou em causa a sua posição, porque o espanhol Jorge Navarro (Honda), o seu mais direto perseguidor, não foi além do 10.º lugar, o que só lhe permitiu reduzir a desvantagem de 67 para 61 pontos.

De assinalar que o malaio Khairul Idham Pawi, que tinha ganho na Argentina e na Alemanha, começou por fazer uma notável recuperação, que o levou do 25.º lugar da grelha ao comando, à frente do escocês, mas uma queda afastou-o daquela que podia ter sido a sua terceira vitória da temporada.

Classificações

Corridas

MOTO2 – 1.º, Jonas Folger (Kalex), 20 voltas (108,060 km), em 45’30,342” (142,4 km/h); 2.º, Alex Rins (Kalex), a 5,175”; 3.º, Sam Lowes (Kalex), a 9,021”; Mattia Pasini (Kalex), a 14,763”; 5.º, Alex Marquez (Kalex), a 17,959”; 6.º, Hafizh Syahrin (Kalex), a 24,247”; 7.º, Danny Kent (Kalex), a 25,696”; 8.º, Franco Morbidelli (Kalex), a 25,916”; 9.º, Miguel Oliveira (Kalex), a 27,199”; 10.º, Anthony West (Suter), a 36,340”. Classificaram-se mais 15 pilotos.

MOTOGP – 1.º, Cal Crutchlow (Honda), 22 voltas, em 47’44,290” (149,3 km/h); 2.º, Valentino Rossi (Yamaha), a 7,298”; 3.º, Marc Marquez (Honda), a 9,587”; 4.º, Loriz Baz (Ducati), a 12,558”; 5.º, Hector Barbera (Ducati), a 13,093”; 6.º, Eugene Laverty (Ducati), a 13,812”; 7.º, Danilo Petrucci (Ducati), a 23,414”; 8.º, Andrea Iannone (Ducati), a 24,562”; 9.º, Maverick Viñales (Suzuki), a 24,581”; 10.º, Tito Rabat (Honda), a 37,131”. Classificaram-se mais sete pilotos.

MOTO3 – 1.º, John McPhee (Peugeot), 19 voltas (102,657 km), em 45’36,087” (135,0 km/h); 2.º, Jorge Martin (Mahindra), a 8,806”; 3.º, Fábio Di Giannantonio (Honda), a 9,777”; 4.º, Enea Bastianini (Honda), a 10,654”; 5., Niccolo Antonelli (Honda), a 13,872”; 6.º, Jakub Kornfeil (Honda), a 15,533”; 7.º, Bo Bensneyder (KTM), a 15,819”; 8.º, Joan Mir (KTM), a 16,289”; 9.º, Nicola Bulega (KTM), a 16,473”; 10.º, Jorge Navarro (Honda), a 16,681”. Classificaram-se mais 14 pilotos.

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova checa:

Pilotos

MOTO2 – 1.º, Johann Zarco, 181; 2.º, Alex Rins, 162 pontos; 3.º, Sam Lowes, 137; 4.º, Jonas Folger, 108; 5.º, Thomas Luthi, 106; 6.º, Franco Morbidelli, 94; 7.º, Takaaki Nakagami, 92; 8.º, Hafizh Syahrin, 79; 9.º, Dominique Aegerter, 71; 10.º, Simone Corsi, 59; …; 17.º, Miguel Oliveira, 33. Estão classificados mais 13 pilotos.

MOTOGP – 1.º, Marc Marquez, 197 pontos; 2.º, Valentino Rossi, 144; 3.º, Jorge Lorenzo, 138; 4.º, Dani Pedrosa, 109; 5.º, Maverick Viñales, 100; 6.º, Andrea Iannone, 96; 7.º, Pol Espargaro, 81; 8.º, Andrea Dovizioso, 79; 9.º, Hector Barbera, 76; 10.º, Cal Crutchlow, 66. Estão classificados mais 12 pilotos

MOTO3 – 1.º, Brad Binder, 179 pontos; 2.º, Jorge Navarro, 118; 3.º, Enea Bastianini, 94; 4.º, Romano Fenati, 93; 5.º, Francesco Bagnaia, 90; 6.º, Nicolo Bulega, 89; 7.º, Joan Mir, 83; 8.º, Fábio DI Giannantonio, 82; 9.º, Niccolo Antonelli, 74; 10.º, Jakub Kornfeil, 68. Estão classificados mais 19 pilotos

Marcas

MOTO2 – 1.º, Kalex, 275 pontos; 2.º, Speed Up, 92; 3.º, Tech 3, 17; 4.º, Suter, 6

MOTOGP – 1.º, Yamaha, 222 pontos; 2.º, Honda 221; 3.º, Ducati, 162; 4.º, Suzuki, 106; 5.º, Aprilia, 53

MOTO3 – 1.º, KTM, 226 pontos; 2.º, Honda, 221; 3.º, Mahindra, 127; 4.º, Peugeot, 45

Equipas

MOTOGP – 1.º, Repsol Honda Team, 306 pontos; 2.º, Movistar Yamaha MotoGP, 282; 3.º, Ducati Team, 175; 4.º, Team Suzuki Ecstar, 151; 5.º, Monster Yamaha Tech 3, 123; 6.º, Octo Pramac Yakhnich, 104; 7.º, Avintia Racing, 101; 8.º, Aprilia Racing Team Gressini, 74; 9.º, Pull & Bear Aspar Team, 71; 10.º, Estrela Galicia 0,0 Marc, 68; 10.º, LCR Honda, 66

Próxima prova – Grande Prémio da Inglaterra, no Circuito de Silverstone, dia 4 de setembro.