Tribuna Expresso

Perfil

motos

As quinhentas vitórias da Yamaha

O espanhol Maverick Viñales alcançou a 500.ª vitória para a Yamaha no Campeonato do Mundo, no Grande Prémio de França.

Pedro Roriz

GUILLAUME SOUVANT/AFP/Getty Images

Partilhar

O seu compatriota Joan Mir (Honda – Moto3) e o italiano Franco Morbidelli (Kalex – Moto2) venceram as restantes corridas, num traçado onde o português Miguel Oliveira (KTM) teve uma presença discreta.

O português acabou no lugar (17.º) em que começou e ao longo do fim-de-semana nunca assumiu o protagonismo verificado nas provas anteriores, tendo, como consequência, perdido uma posição, em termos de campeonato, sendo agora quarto.

O italiano Franco Morbidelli (Kalex) continua a sua cavalgada rumo ao título e venceu pela quarta vez em cinco corridas, o que o torna o “homem a bater”, embora pareça, por aquilo que sucedeu nestas primeiras provas, que ninguém o impedirá de conquistar o ceptro por antecipação.

Por sua vez, o segundo lugar do seu compatriota Francesco Bagnaia (Kalex) permitiu à Itália alcançar a primeira “dobradinha” em Moto2, com o suíço Thomas Luthi (Kalex) a assegurar o derradeiro lugar do pódio e a manter o segundo lugar no campeonato, mas agora a 20 pontos do comandante.

Mais rápido no arranque, o francês Johann Zarco (Yamaha) foi o primeiro comandante, à frente dos dois homens da Yamaha (Maverick Viñales e Valentino Rossi), mas o facto de utilizar pneus macios levou-o a perder o comando para o espanhol e a ceder perante o italiano, que acabaria por cair, quando discutia a vitória com o seu colega de equipa.

A corrida de Moto3 ficou marcada pela queda de 15 pilotos, logo na volta de abertura, uma queda colectiva provocada por um asfalto muitíssimo escorregadio, já que ninguém tocou em ninguém e todos foram caindo como pedras de dominó.

Quando a corrida recomeçou, o espanhol Joan Mir (Honda), que saiu da oitava posição, depressa chegou a terceiro, atrás do seu compatriota Jorge Martin (Honda) e do italiano Romano Fenati (Honda), que caíram e deixaram o futuro vencedor isolado no comando, com o espanhol Aron Canet (Honda) e o italiano Fabio Di Giannantonio (Honda) a completarem o pódio, depois de levarem a melhor sobre o pelotão perseguidor.

Classificações

Corridas

MOTO2 – 1.º, Franco Morbidelli (Kalex), 26 voltas (108,81 km), em 42’17,557” (154,3 km/h); 2.º, Francesco Bagnaia (Kalex), a 1,714”; 3.º, Thomas Luthi (Kalex), a 5,837”; 4.º, Alex Marquez (Kalex), a 6,212”; 5.º, Mattia Pasini (Kalex), a 13,537”; 6.º, Dominique Aegerter (Suter), a 14,945”; 7.º, Takkaki Nakagami (Kalex),a 16,413”; 8.º, Simone Corsi (Speed Up), a 16,681”; 9.º, Xavi Vierge (Tech 3),a 17,163”; 10.º, Yonny Hernandez (Kalex), a 17,605”; …; 17.º, Miguel Oliveira (KTM), a 26,934”. Classificaram-se mais oito pilotos

MOTOGP – 1.º, Maverick Viñales (Yamaha), 28 voltas (117,18 km), em 43’29,793” (161,6 km/h); 2.º, Johann Zarco (Yamaha), a 3,134”; 3.º, Dani Pedrosa (Honda), a 7,717”; 4.º, Andrea Dovizioso (Ducati), a 11,223”; 5.º, Cal Crutchlow (Honda), a 13,519”; 6.º, Jorge Lorenzo (Ducati), a 24,002”; 7.º, Jonas Folger (Yamaha), a 25,733”; 8.º, Jack Miller (Honda), a 32,603”; 9.º, Loris Baz (Ducati), a 45,784; 10.º, Andrea Iannone (Suzuki),a 48,332. Classificaram-se mais cinco pilotos

MOTO3 – 1.º, Joan Mir (Honda), 16 voltas (66,96 km), em 27’37,830” (145,4 km/h); 2.º, Aron Canet (Honda), a 4,252”; 3.º, Fabio Di Giannantonio (Honda), a 4,365”; 4.º, Marcos Ramirez (KTM), a 4,469”; 5.º, Juanfran Guevara (KTM), a 4,845”; 6.º, Enea Bastianini (Honda), a 5,463”; 7.º, Jules Danilo (Honda), a 5,652”; 8.º, Andrea Migno (KTM), a 5,821”; 9.º, Bo Bendsneyder (KTM), a 6,049”; 10.º, Danny Kent (KTM), a 6,193”. Classificaram-se mais 13 pilotos.

Classificação dos “Mundiais”, depois da prova francesa:

PILOTOS

MOTO2 – 1.º, Franco Morbidelli, 100 pontos; 2.º, Thomas Luthi, 80; 3.º, Alex Marquez, 62; 4.º, Miguel Oliveira, 59; 5.º, Francesco Bagnaia, 53; 6.º,Takaaki Nakagami, 41; 7.º, Dominique Aegerter, 37; 8.º, Xavier Vierge, 32; 9.º, Luca Martini, 31; 10.º, Simone Corsi, 27. Estão classificados mais 15 pilotos

MOTOGP – 1.º, Maverick Viñales, 85 pontos; 2.º, Dani Pedrosa, 68; 3.º, Valentino Rossi, 62; 4.º, Marc Marquez, 58; 5.º, Johann Zarco, 55; 6.º, Andrea Dovizioso, 54; 7.º, Cal Crutchlow, 40; 8.º, Jorge Lorenzo, Jonas Folger, 38; 10.º, Jack Miller, 29. Estão classificados mais 14 pilotos

MOTO3 – 1.º, Joan Mir, 99 pontos; 2.º, Romano Fenati, 65; 3.º, Aron Canet, 63; 4.º, Jorge Martin, 59; 5.º, John McPhee, 53; 6.º, Fabio Di Giannantonio, 51; 7.º, Andrea Migno, 43; 8.º, Marcos Ramirez, 36; 9.º, Juanfran Guevara, 34; 10.º, Enea Bastianini, 31. Estão classificados mais 20 pilotos.

MARCAS

MOTO2 – 1.º, Kalex, 125 pontos; 2.º, KTM, 62; 3.º, Suter, 44; 4.º, Tech 3, 32; 5.º, Speed Up, 27

MOTOGP – 1.º, Yamaha, 108 pontos; 2.º, Honda, 95; 3.º, Ducati, 72; 4.º, Suzuki, 22; 5.º, Aprilia, 19; 6.º, KTM, 8

MOTO3 – 1.º, Honda, 125 pontos; 2.º, KTM, 60; 3.º, Peugeot, 5; 4.º, Mahindra, 2

EQUIPAS – 1.º, Movistar Yamaha MotoGP, 147 pontos; 2.º, Repsol Honda Team, 126; 3.º, Monster Yamaha Tech 3, 93; 4.º, Ducati Team, 92; 5.º, Octo Pramac Racing, 52; 6.º, EG 0,0 Marc VDS, 42; 7.º, LCR Honda, 40; 8.º, Reale Avintia Racing, 31; 9.º, Pull&Bear Aspar Team, Team Suzuki Ecstar, 23; 10.º, Aprilia Racing Team Gresini, 19; 12.º, Red Bull KTM Factory Racing, 12

Próxima prova – Grande Prémio de Itália, dia 4 de Junho, no Circuito de Mugello