Tribuna Expresso

Perfil

motos

Queda de Miguel Oliveira terá impedido pódio

A cinco voltas do fim do Grande Prémio da Áustria em MotoGP, quando era o mais rápido em pista e se aproximava dos lugares do pódio, o português Miguel Oliveira (KTM) caiu, pela primeira vez esta temporada, e teve de passar pelo hospital do circuito, como medida de precaução

Pedro Roriz

Franco Morbidelli (ao centro), Alex Marquez (à esq.) e Thomas Luhti (à dir.) no pódio do Grande Prémio da Áustria

CHRISTIAN BRUNA//EPA

Partilhar

A corrida foi dominada pelo italiano Franco Morbidelli (Kalex), que venceu pela sétima vez este ano. A partir do momento em que chegou ao comando, o que sucedeu cedo, não mais foi incomodado, como o demonstra o 1,312” de avanço sobre o espanhol Alex Marquez (Kalex), que foi segundo, com o suíço Thomas Luthi (Kalex) a completar o pódio e a ver o seu atraso para o italiano subir para 26 pontos.

Miguel Oliveira saiu de oitavo, foi recuperando, e já estava em quarto quando foi ao asfalto, mas manteve essa posição no campeonato, a 20 pontos de Alex Marquez, que fecha os lugares do pódio, e com 33 pontos de avanço sobre o italiano Francesco Bagnaia (Kalex), que foi quarto no traçado austríaco.

A corrida de MotoGP ficou, também, marcada pelas condições de aderência do asfalto.

Considerada corrida com pista molhada, a verdade é que o asfalto foi secando e os pilotos depressa foram trocar de moto, para regressarem à pista com motos equipadas com pneus “slicks”.

O momento da troca de moto acabou ser determinante, com o espanhol Marc Marquez (Honda), que foi dos primeiros a trocar de máquina, a dominar de forma clara, assegurando a terceira vitória, segunda consecutiva, do ano e cimentando a posição de comandante do campeonato.

Os seus compatriotas Dani Pedrosa (Honda) e Maverick Viñales (Yamaha) a completarem o pódio, também eles a beneficiarem do facto de terem sido dos primeiros a parar.

Mas que emoção!

Esta terá sido uma das melhores corridas de MotoGP, decidida na derradeira curva, quando o italiano Andrea Dovizioso (Ducati) defendeu, 'no limite', o 'ataque' do espanhol Marc Marquez (Honda), que na desesperada tentativa de ultrapassagem quase colocou os dois pilotos no chão.

A corrida começou com o espanhol Jorge Lorenzo (Ducati) a assumir o comando, mas o piloto da marca italiana acabaria por ver os pneus perderem eficácia e foi relegado para o quarto lugar atrás do seu compatriota Dani Pedrosa (Honda); que não teve possibilidade de manter a pressão sobre o duo da frente, que fez uma corrida notável, com o italiano a defender-se de toda a maneira e feitio dos ataques do espanhol.

E se, muitas vezes, as corridas de MotoGP são as mais desinteressantes do programa esta fica na história da competição.

Um ano depois de ter ganho pela primeira vez, em Moto3, o espanhol regressou ao traçado austríaco de Spielberg para vencer pela sétima vez esta temporada, em 11 corridas, depois de ter saído da 10.ª posição da grelha de partida.

Com uma corrida de recuperação, Joan Mir instalou-se no comando a meio da prova para não mais ser incomodado e cimentar a posição de comandante do “Mundial”, tendo, agora 64 pontos de avanço sobre o italiano Romano Fenati (Kalex), que não foi além do 13.º lugar.

Mas se a superioridade do vencedor foi incontestável, atrás dele assistiu-se a um duelo intenso, com os seis pilotos seguintes a caberem num segundo, com o alemão Philipp Oetil (KTM) e o espanhol Jorge Martin (Honda) a completarem o pódio.

Classificações

Corridas

MOTO2 – 1.º, Franco Morbidelli (Kalex), 25 voltas (107,95 km), em 37’39,370” (172,0 km/h); 2.º, Alex Marquez (Kalex), a 1,312”; 3.º, Thomas Luhti (Kalex), a 2,544”; 4.º, Francesco Bagnaia (Kalex), a 3,070”; 5.º, Mattia Pasini (Kalex), a 3,745”; 6.º, Takaaki Nakagami (Kalex), a 8’827”; 7.º, Brad Binder (KTM), a 9,018”; 8.º, Jorge Navarro (Kalex), a 13,692”; 9.º, Dominique Aegerter (Suter), a 14,955”; 10.º, Hafizh Syahrin (Kalex), a 18,997”. Classificaram-se mais 11 pilotos

MOTOGP – 1.º, Andrea Dovizioso (Ducati), 28 voltas (120,904 km), em 39’43,323” (182,6 km/h); 2.º, Marc Marquez (Honda), a 0,176”; 3.º, Dani Pedrosa (Honda), a 2,661”; 4.º, Jorge Lorenzo (Ducati), a 6,663”; 5.º, Johann Zarco (Yamaha), a 7,262”; 6.º, Maverick Viñales (Yamaha), a 7,447”; 7.º, Valentino Rossi (Yamaha), a 8,995”; 8.º, Alvaro Bautista (Ducati), a 14,515; 9.º, Loris Baz (Ducati), a 19,620”; 10.º, Mika Kallio (KTM), a 19,766”. Classificaram-se mais 10 pilotos

MOTO3 – 1.º, Joan Mir (Honda), 23 voltas (99,314 km), em 37 ’23,124” (159,3 km/h); 2.º, Philipp Oetil (KTM), a 3,045”; 3.º, Jorge Martin (Honda), a 3,377”; 4.º, Livio Loi (Honda), a 3,385”; 5.º, Aaron Canet (Honda), a 3,502”; 6.º, Fabio Di Giannantonio (Honda), a 3,730”; 7.º, Gabriel Rodrigo (KTM), a 3,804”; 8.º, Adam Norrodin (Honda), a 4,183”; 9.º, Jaume Masia (KTM), a 4,310”; 10.º, Enea Bastianini (Honda), a 4,858”. Classificaram-se mais 14 pilotos

Classificação dos “Mundiais”, depois da prova austríaca:

PILOTOS

MOTO2 – 1.º, Franco Morbidelli, 207 pontos; 2.º, Thomas Luthi, 181; 3.º, Alex Marquez, 153; 4.º, Miguel Oliveira, 133; 5.º, Francesco Bagnaia, 100; 6.º, Mattia Pasini, 84; 7.º, Takaaki Nakagami, 79; 8.º, Simone Corsi, 68; 9.º, Dominique Aegerter, 57; 10.º, Luca Marini, 54. Estão classificados mais 22 pilotos

MOTOGP – 1.º, Marc Marquez, 174 pontos; 2.º, Andrea Dovizioso, 158; 3.º, Maverick Viñales, 150; 4.º, Valentino Rossi, 141; 5.º, Dani Pedrosa, 139; 6.º, Johann Zarco, 99; 7.º, Jorge Lorenzo, 79; 8.º, Jonas Folger, 77; 9.º, Cal Crutchlow, 76; 10.º, Danilo Petrucci, 75. Estão classificados mais 16 pilotos

MOTO3 – 1.º, Joan Mir, 215 pontos; 2.º, Romano Fenati, 151; 3.º, Aron Canet, 137; 4.º, Jorge Martin, 105; 5.º, Fabio Di Giannantonio, 95; 6.º, John McPhee, 93; 7.º, Marcos Ramirez, 92; 8.º, Andrea Migno, 83; 9.º, Juanfran Guevara, 71; 10.º, Enea Bastianini, 65. Estão classificados mais 22 pilotos.

MARCAS

MOTO2 – 1.º, Kalex, 275 pontos; 2.º, KTM, 145; 3.º, Suter, 73; 4.º, Speed Up, 68; 5.º, Tech 3, 58

MOTOGP – 1.º, Yamaha, 211 pontos; 2.º, Honda, 211; 3.º, Ducati, 187; 4.º, Aprilia, 45; 5.º, Suzuki, 45; 6.º, KTM, 29

MOTO3 – 1.º, Honda, 270 pontos; 2.º, KTM, 154; 3.º, Mahindra, 11; 4.º, Peugeot, 5.

EQUIPAS

MOTOGP – 1.º, Repsol Honda Team, 313; 2.º, Movistar Yamaha MotoGP, 291 pontos; 3.º, Ducati Team, 237; 4.º, Monster Yamaha Tech 3, 176; 5.º, Octo Pramac Racing, 112; 6.º, Pull&Bear Aspar Team, 77; 7.º, LCR Honda, 76; 8.º, EG 0,0 Marc VDS, 66; 9.º, Reale Avintia Racing, 59; 10.º, Team Suzuki Ecstar, 46; 11.º, Aprilia Racing Team Gresini, 45; 12.º, Red Bull KTM Factory Racing, 29

Próxima prova – Grande Prémio de Inglaterra, dia 27 de agosto, no Circuito de Silverstone

Partilhar