Tribuna Expresso

Perfil

vídeo

O que dizem os regulamentos sobre o Estoril-FC Porto (sim, os lesionados vão poder ser chamados na nova data do jogo)

As autoridades desportivas estão a estudar uma solução para o jogo entre o Estoril e o FC Porto, interrompido ao intervalo esta segunda-feira. A segunda parte pode ser marcada para uma nova data ou nem chegar a realizar-se, se for provado que o estádio não estava em condições

SIC Notícias

Partilhar

A palavra-chave é responsabilidade. Os regulamentos da Liga prevêem desfechos bem diferentes para o que aconteceu no Estádio António Coimbra da Mota.

O regulamento disciplinar, no artigo 94º, prevê:

"Quando um jogo oficial não (...) se concluir em virtude do estádio não se encontrar em condições regulamentares por facto imputável ao clube que o indica, este é punido com a sanção de derrota."

Por isso, os relatórios das várias entidades envolvidas na vistoria são fundamentais.

Num outro cenário, ou seja, se não houver atribuição de responsabilidades ao Estoril, valerá o artigo 46.º sobre jogos interrompidos devido a caso fortuito ou de força maior, que prevê que o jogo seja concluído nas 30 horas seguintes, com exceções:

a) ambos os clubes acordem a respetiva realização ou conclusão em outra data;
b) estiver em causa a segurança dos agentes desportivos ou espetadores.

O FC Porto recusou ao abrigo da lei jogar nas 30 horas seguintes por ter já um jogo agendado para sexta-feira frente ao Tondela.

Assim, à luz dos regulamentos, terá de ser encontrada uma nova data no espaço quatro semanas...

O Estoril tem o calendário menos apertado e o FC Porto terá livre o fim-de-semana de 27 e 28 de janeiro em aberto, mas apenas se for eliminado pelo Sporting na meia-final da Taça da Liga. Caso contrário, terá de ser acordada para os meses seguintes uma data com o acordo dos clubes e da Liga.

Do ponto vista desportivo, se o jogo for retomado, podem existir novidades nas equipas. Os jogadores lesionados que não foram chamados para o encontro podem ser utilizados pelos dois treinadores na segunda parte. São os casos de Otávio e de Brahimi no Porto. No Estoril, se recuperarem, os seis indisponíveis da equipa de Ivo Vieira também podem jogar.

De fora fica Kléber, que estava castigado. O regulamento impede um jogador que inicialmente estava suspenso de ser opção para a conclusão do jogo.