Tribuna Expresso

Perfil

Mundial 2018

Certamente, esta foi a melhor defesa de sempre. Pelé que o diga

No Mundial de 1970, Gordon Banks estirou-se para a história ao opôr-se a um remate de cabeça de Pelé que parecia mais que destinado a entrar. Não fosse a ponta dos dedos da mão direita do guardião inglês. A Tribuna Expresso publica aqui a segunda história de pequenas histórias de todos os Mundiais

Tiago Oliveira

Gordon Banks posa com a foto da sua famosa defesa ao remate de Pelé

Getty Images

Partilhar

Gordon Banks era titular indiscutível da Inglaterra e campeão do mundo em título quando chegou ao Mundial 1970. Mas os últimos dois anos não tinham sido fáceis para o guardião de 33 anos, com o Leicester a "dispensá-lo" para o Stoke e muitas dúvidas sobre a sua capacidade em adaptar-se às condições de altitude e calor tórrido do anfitrião México. Por incrível que pareça, não estavam completamente enganados. Só que no intervalo das dificuldades houve espaço para um momento mágico

A Inglaterra mantinha o selecionador e a base que lhe tinha dado o título mundial em 1966, o que a colocava entre as favoritas à conquista do troféu. Após uma vitória sofrida perante a Roménia, seguiu-se o grande teste, o Brasil. Não um Brasil qualquer, mas a equipa que hoje em dia é vista como, provavelmente, a melhor equipa nacional de sempre, já era então considerada uma coleção de estrelas sem igual, com um nome acima de todos os outros, Pelé.

Tal como se previa, o jogo começou com uma pressão intensa por parte dos canarinhos, que rapidamente impuseram o seu futebol de posse, truques e técnica individual que, não poucas vezes, deixava os europeus sem resposta. Após ter sido algumas vezes chamado a intervir, o momento de Banks estava prestes a chegar.

Foi a meio da primeira parte quando Jairzinho ganhou a linha de fundo pela direita e fez um cruzamento teleguiado para a cabeça de Pelé. O resto, como costumam dizer, é história.

O brasileiro executou um cabeceamento perfeito, com força, colocado, de cima para baixo e que em 99,9% dos casos daria golo sem qualquer hipótese. Tanto que, segundo conta o próprio Banks, Pelé terá gritado golo quando viu a direção da bola. Tudo aconteceu então em frações de segundo. "No treino, apercebi-me que naqueles relvados a bola saltava ligeiramente mais que o normal", contou ao "Daily Mail." Foi esse treino extra que o levou a mandar-se da única forma possível para chegar à bola. Aí ainda havia a questão da bola poder sobrar para ressalto, o que levou a esticar-se com a mão direita curvada para tentar mandar a bola por cima da barra. Ainda assim, era uma hipótese num milhão, mas os astros alinharam-se.

O guardião só se apercebeu que tinha defendido a bola quando viu a reação de Pelé e, segundo reza a lenda, o capitão inglês Bobby Moore, terá mesmo dito ao seu colega: "estás a ficar velho Banksy, antes costumavas agarrá-las." Jairzinho ainda deu a vitória ao Brasil na segunda parte. Ficou na sombra do outro feito.

Depois de ter ajudado a Inglaterra a passar aos quartos-de-final da competição, um vírus alimentar e a influência do calor acabariam por retirá-lo do jogo que acabou com a eliminação aos pés da Alemanha por 3-2. Já o Brasil sagrar-se-ia campeão do mundo. Para a memória, entrou aquela que para muitos, é a melhor defesa de sempre.

  • Olá, o meu nome é Cubillas. Esta é a trivela

    Mundial 2018

    A estrela peruana (que passou pelo FC Porto) marcou um dos livres mais famosos da história do Mundial em 1978, com um gesto técnico pouco habitual nas bolas paradas. A Tribuna Expresso inaugura, aqui, a primeira história de histórias de todos os Mundiais