Tribuna Expresso

Perfil

Mundial 2018

E eis que, 23 dias após renovar com Espanha, Julen Lopetegui se torna treinador do Real Madrid

O ex-treinador do FC Porto vai, daqui a umas semanas, também ser o antigo selecionador espanhol: o Real Madrid confirmou esta terça-feira que contratou Julen Lopetegui para as próximas três épocas. E pensar que, a 16 de maio, a Federação Espanhola de Futebol estava a anunciar a renovação do vínculo com o técnico (até 2020)

Diogo Pombo

David Ramos - FIFA

Partilhar

Bom, há coisas boas para uns que surgem em alturas que são más, para outros. É subjetivo, como tudo, e se esta notícia – enquadrada no contexto de uma fase de grupos de um Mundial de futebol que começa a ser jogado já na quinta-feira – tem algo de bom, então é boa para Portugal.

Porque, a três dias da estreia da seleção na competição, o seu primeiro adversário acabou de saber que o seu selecionador, para o que der e vier, já tem a vida orientada para o pós-Mundial. O Real Madrid anunciou esta terça-feira a contratação de Julen Lopetegui, o atual treinador da seleção espanhola, para as próximas três épocas, um anúncio que chega 23 dias após a Federação Espanhola de Futebol revelar que tinha renovado contrato com o técnico, até 2020.

Os mais otimistas na sua relação com o futebol poderiam concluir que isto é qualquer coisa como em 2008, quando se soube de Luiz Felipe Scolari seria o próximo treinador do Chelsea numa altura em que ainda era o selecionador português, em pleno Europeu.

A coisa não correu muito bem: Portugal foi eliminado nos quartos-de-final, pela Alemanha, após perder o último jogo da fase de grupos com a Suíça. E quem acredita que estas notícias inesperadamente lançadas a meio de grandes competições têm peso em aglomerados de futebolistas e técnicos, que passam mais de um mês juntos, então talvez possa ter a esperança de que haverá uma certa dose de instabilidade a entrar pela seleção espanhola, neste momento - o que, seguindo essa lógica, será bom para a seleção portuguesa.

Julen Lopetegui soma, até hoje, 20 jogos feitos com a seleção espanhola, divididos por 14 vitórias e seis empates. Nunca perdeu, ao contrário da temporada e meia que passou no FC Porto sem conquistar qualquer título.

Chegou ao cargo nos dragões, sobretudo, pelo sucesso que antes teve com os sub-21 espanhóis, com quem ganhou o Campeonato da Europa da categoria, em 2013. Muitos jogadores que orientou nessa conquista (Thiago Alcantâra, Koke, Isco, Carvajal e Rodrigo) estão agora com ele na seleção principal espanhola que, na quinta-feira (19h, RTP1), defrontará Portugal.