Tribuna Expresso

Perfil

Mundial 2018

Fernando Santos: “Falar sobre o Ronaldo é repetir, repetir, repetir a mesma coisa: ele é o melhor do mundo e vai marcar golos no Qatar”

"Temos qualidade, mas temos também de ter intensidade", considera o selecionador

Carlos Rodrigues

Partilhar

Fernando Santos reconhece a dificuldade evidente – não ter bola, porque a Espanha é a Espanha – mas também a falta de instinto para ter feito o que chegou a parecer possível – o 2-0.

“Entrámos bem. Depois recuámos muito, não conseguimos ter bola, isso foi uma dificuldade. Tivemos contra-ataques e situações para fazer o segundo golo, depois sofremos um golo que deixa muitas dúvidas”, disse Fernando Santos à RTP logo a seguir ao final do jogo.

E mais: o selecionador explica que os jogadores estavam avisados para o desenho do segundo golo de Espanha, num lance de bola parada no início da segunda parte. “Sofremos um golo num lance conhecido”, lamenta Fernando Santos. “Há muita coisa a retificar, principalmente no aspeto defensivo. Temos qualidade, mas temos também de ter intensidade. Nós permitimos que o adversário jogasse, sabíamos que eles jogavam assim. Temos de ter mais intensidade quando não temos a bola. Agora a equipa bateu-se, houve aspetos positivos, mas há muita coisa a melhorar.”

Fernando Santos considera que o resultado “é justo” e deu ainda uma nota à equipa, depois de lhe ter sido pedido para classificar de 0 a 10 o jogo de Portugal. “Seis.”