Tribuna Expresso

Perfil

Mundial 2018

José Fonte não tem experiência suficiente para lidar com este tipo de a̶n̶i̶m̶a̶i̶s̶ avançados (por Lá em Casa Mando Eu)

E quão feliz estaria a ser a vida de Cristiano Ronaldo, neste momento, se não soubesse que vai ser treinado por Julen Lopetegui? É a pergunta que a Catarina Pereira, do Lá em Casa Mando Eu, faz entre toda a avaliação que dissertou sobre os 14 portugueses que estiveram em campo no empate contra a Espanha

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

Jean Catuffe

Partilhar

Rui Patrício

Sofreu três golos - que é mais do que Nosso Senhor o Engenheiro Fernando Santos tinha previsto para toda a competição -, mas nem isso, nem 18 anos de Sporting, foram suficientes para que a noite corresse mal a Rui Patrício. Hoje, em vez de um retiro espiritual, bastou-lhe um Ronaldo genial. Quando tiver tempo para finalmente procurar emprego, sugiro que meta só lá no currículo que é amigo dele.

Cédric Soares

Continua a ser difícil entender a insistência em Cédric, mas não serão, com certeza, mais um ou dois jogos a este nível que farão o selecionador mudar de ideias. Se ao menos tivéssemos outros cidadãos nacionais capazes de fazer esta posição decentemente...

Pepe

Sofreu falta de Diego Costa no primeiro golo da Espanha, mas o VAR encontrava-se no retiro espiritual do Rui Patrício e não viu. De resto, continua com o sentido posicional de um Pepe de 20 anos e, mesmo aos 35, arrisca-se a ser o único cidadão português capaz de fazer esta posição decentemente.

José Fonte

Pelo muito espaço dado a Diego Costa, fica a sensação de que José Fonte não tem experiência suficiente para lidar com este tipo de animais avançados. Pela ausência de faltas durinhas, encostos intimidatórios e palavras sussurradas ao ouvido com amor, fica a sensação de que Bruno Alves ou Rúben Dias tinham dado mais porrada naquela besta feito melhor.

Raphaël Guerreiro

Vamos lá, todos a admitir: ao minuto 88, quantos milhões de nós não gritaram, ou pelo menos pensaram, "Quem me dera que o Ronaldo deixasse o Raphaël Guerreiro bater este livre!"? AHAHAHAHAHAH! Somos tão ridículos! Agora imaginem os espanhóis :)

William Carvalho

É uma análise que me custa fazer, dada a injusta ausência do comendador Danilo, que, se estivesse bem de saúde durante este Mundial, teria sido essencial a partir do banco. Mas estamos cá também para estes momentos difíceis, por isso vamos lá. William esteve bem a pausar o jogo e também a olhar para ele enquanto os espanhóis trocavam a bola. Vamos precisar muito dele durante esta competição e, por isso, não pode ir já andando para a fila do Instituto de Emprego e Formação Profissional.

João Moutinho

Não sei se é só a minha habitual parcialidade portista a falar, mas pareceu-me que está um degrau acima dos restantes companheiros (fora aquele rapaz lá da frente que está noutro campeonato). Pensa melhor, controla melhor, joga melhor. Os anos passam, o futebol muda, as gerações mais novas trazem grandes promessas e o meio-campo da seleção ganha muitos candidatos, mas, enquanto houver João Moutinho, os espanhóis não hão de jogar sozinhos.

Bruno Fernandes

Acordou esta sexta-feira banhado em suor, com a sensação de estar a levar chapadas, mas afinal estava só calor e era o colega de quarto a acordá-lo porque estava com pressa. Mais tarde, pela titularidade, notou-se que foi uma das poucas pessoas que, em dois anos, convenceu Fernando Santos a mudar o seu grupo de amigos onze. Infelizmente, o adversário era a Espanha e Bruno Fernandes teve de correr mais atrás da bola do que está habituado. Nada que belisque o mérito da excelente temporada que fez, sobretudo na altura de tomar decisões, como a que tomou no dia 11 de junho. Aliás, já que falamos da sua vida pessoal, a ser verdade que um qualquer sportinguista perguntou, a dada altura, ao hoquista do FC Porto, Hélder Nunes, se ele não quer ir para o Sporting, assim mesmo de forma bastante específica, penso que a única coisa que o meu clube tem a fazer é contratar desde já Bruno Fernandes. Acho bem que não se aproveite uma crise institucional para humilhar o rival, mas a nossa ética tem limites!

Bernardo Silva

Sendo dos poucos jogadores portugueses que alguma vez foi treinado por um técnico que privilegia o tiki-taka e fala castelhano (Quaresma também aturou Lopetegui, mas não é bem a mesma coisa), Bernardo Silva tinha muito a ensinar aos colegas para este duelo com a Espanha. E fê-lo de forma exímia, tendo-se juntado ao grupo de cidadãos nacionais que andaram muito tempo a correr atrás da bola. Mas não entremos em pânico: Marrocos e Irão serão excelentes oportunidades para provar que já está numa fase da carreira em que podia ter alguma hipótese no Al Hilal.

Gonçalo Guedes

Minuto 22, contra-ataque português e Cristiano Ronaldo corre sem bola como se fosse a fugir do Fisco espanhol. A transição é incrível, a jogada também, mas Gonçalo Guedes hesita e não faz o golo. Esperemos que tenha sido só um mau momento - e um mau jogo -, porque NÃO ESTÁ CÁ O ÉDER &%$#"%#!

Cristiano Ronaldo

Ganhou e marcou um penálti logo a abrir o jogo, deu vantagem outra vez a Portugal com a ajuda de De Gea e fechou o empate final com um livre soberbo e um hat-trick que já fica para a história dos Mundiais. Enfim, se não fosse estar prestes a ser treinado por Lopetegui, a vida corria-lhe bem!

João Mário

Muitos pensavam que seria um titular quase indiscutível desta seleção, mas a vontade de Bruno Fernandes se mostrar a Pinto da Costa tem sido mais forte. Talvez para a próxima, João.

Ricardo Quaresma

Parece que vai continuar a ser a nossa arma secreta, ou, como Nosso Senhor o Engenheiro Fernando Santos costuma chamar-lhe, o gajo que vai entrar para tentar o empate, ou o golo no prolongamento, ou aquele penálti que nos vai levar em frente.

André Silva

Ainda entrou a tempo de poder dizer que participou num excelente jogo do Mundial de 2018. O primeiro empate já está. Só faltam mais cinco e bué penáltis para ganharmos isto!