Tribuna Expresso

Perfil

Mundial 2018

Fonte explica a abnegação alheia e a sua própria: "Demos a vida por este país, daria a vida pela seleção"

Central português sente que a seleção tinha condições para seguir em frente no Mundial mas admite uma limitação ditada pelas circunstâncias do jogo: aconteceu ao minuto 7

JONATHAN NACKSTRAND / Getty

Partilhar

José Fonte olha para os acontecimentos da derrota com o Uruguai e responsabiliza o minuto 7, aquele em que Cavani fez golo recorrendo a parte da cara e ainda da cabeça: "O facto de termos sofrido um golo cedo, talvez, talvez nos tenha deixado de pé atrás. Tivemos posse de bola, lateralizámos e não fomos incisivos como devíamos ter sido".

O central diz que a atitude da seleção mudou radicalmente na segunda parte, ainda que de maneira inconsequente para a eliminatória: "Depois do intervalo viemos com tudo. Continuámos a tentar, os jogadores tentaram mudar o rumo dos acontecimentos mas não conseguiram. Na segunda parte mudámos e achámos que conseguíamos chegar à vitória".

Depois da análise ao jogo, Fonte quis explicar a atitude da equipa. "Demos a vida por este país e por esta seleção, mas infelizmente hoje não conseguimos. Mas foi o nosso jogo mais conseguido. Queríamos ir mais além. Sentimos que podíamos ter ganho este jogo". E termina assim: "Eu estou sempre disponível, eu daria a vida pela seleção".