Tribuna Expresso

Perfil

Grupo H

Adiós, Polónia

A Colômbia mandou a Polónia de volta para casa, ao vencer por 3-0, no jogo do grupo H que encerrou a 2ª jornada do Mundial 2018

Mariana Cabral

Robbie Jay Barratt - AMA

Partilhar

Aos 75 minutos do Polónia-Colômbia, o marcador já registava 0-3, mas de certeza que milhares de adeptos um pouco por todo o mundo sorriram quando olharam para o ecrã e viram, na bancada da Arena de Kazan, duas figuras históricas do futebol mundial: René Higuita e Carlos Valderrama.

Aqueles dois ídolos colombianos estavam então deliciados com o que outros dois (mini) ídolos colombianos iam fazendo em campo: James Rodríguez e Juan Quintero. Bom, e Radamel Falcao. Bom, e Juan Cuadrado. Bom...

Bom, bom foi ver a arte criada pelos pés de todos aqueles colombianos - e os outros dez que estiveram em campo - frente à Polónia, no jogo que enviou os polacos de volta para casa, já que a equipa do goleador Robert Lewandowski - que ainda não marcou um único golo, mas, ainda assim, tem sido sempre dos melhores da equipa - já tinha perdido na 1ª jornada, frente ao Senegal (2-1).

A mesma jornada em que os colombianos, frente aos japoneses, também sairam derrotados, com James então a começar no banco, devido a uma lesão, e a entrar apenas para a saída do outro grande criativo da equipa, Juan Quintero.

Mas, esta noite, Jose Pekerman decidiu fazer um all in: tanto James como Quintero foram titulares... e isso foi o melhor que podia ter acontecido à Colômbia. Porque o talento é sempre compatível, seja em que equipa for, seja em que prova for, e os dois médios colombianos, amigos de infância, demonstraram-no.

Ambos os 'dez' - cada um à sua maneira - são capazes de ver e fazer coisas que o mero mortal não almeja (como aquele passe de Quintero para Aguilar aos 20 minutos) e isso pode significar o sucesso de uma seleção que precisava desesperadamente de ganhar para conseguir continuar a pensar nos oitavos-de-final do Mundial.

MB Media

Com dois pequenos génios pelo meio e uma moto pela direita chamada Cuadrado - aproveitando o espaço deixado livre por Rybus, já que Adam Nawalka decidiu mudar o sistema para um 3-4-3 (e não correu bem) -, a Colômbia pareceu quase sempre melhor no jogo do que a Polónia e chegou ao golo aos 40 minutos. James bateu o canto curto para Quintero, Quintero enganou os polacos e voltou a colocar em James, que estava sozinho, e o médio do Real Madrid (emprestado ao Bayern de Munique) cruzou para a cabeça de Yerry Mina, central do Barcelona, fazer o 1-0.

À entrada para a 2ª parte, houve mais Polónia, mas apenas uma verdadeira oportunidade de golo, quando Lewandowski apareceu isolado em frente a Ospina, mas o guarda-redes colombiano encurtou rapidamente o espaço e conseguiu impedir o golo. A partir daí, deixou de haver Polónia, até porque o pequeno génio de Quintero, aos 70 minutos, desmarcou Falcao para que o melhor marcador da Colômbia, em frente a Szczesny, fizesse o 2-0.

Para não ficar atrás do amigo, James Rodríguez decidiu imitá-lo: pegou na bola, quando a Polónia perdeu a posse num lançamento ainda no meio-campo colombiano, e isolou Cuadrado, ao que o jogador da Juventus respondeu com o 3-0.

Com este resultado, os colombianos, que vão defrontar o Senegal (quatro pontos), ainda sonham com o apuramento, ao contrário dos polacos, que já sabem que não passam aos oitavos-de-final, ainda que possam fazer um grande favor aos colombianos, caso vençam ou empatem os japoneses, que também já somam quatro pontos.