Tribuna Expresso

Perfil

NBA

Mamba's Out: os Lakers retiraram as camisolas de Kobe e houve lágrimas e até política

Kobe Bryant foi na segunda-feira homenageado pelos Los Angeles Lakers, que retiraram as camisolas 8 e 24, que o base usou nos seus 20 anos de carreira na equipa

Lídia Paralta Gomes

Partilhar

Quando Magic Johnson te chama “o maior de sempre a usar púrpura e ouro”, alguma coisa deves ter feito bem. E fizeste tão bem que a tua equipa de sempre decidiu retirar não uma, mas sim as duas camisolas que usaste ao longo de 20 anos na NBA, 20 anos nos Lakers. Porque, como bem sublinhou Jeanie Buss, a principal proprietária da equipa, se dividíssemos a carreira de Kobe Bryant em dois, ou seja, pelos anos que usou o número 8 e pelos anos que vestiu o 24, qualquer uma das partes davam “para entrar no Hall of Fame da NBA”.

Entre as duas há cinco títulos e um prémio de MVP.

Num reconhecimento mais rápido do que o normal quando falamos de camisolas retiradas - Kobe só deixou o basquetebol há um ano e meio, mas as exceções são abertas para quem é excecional - o Staples Center de Los Angeles uniu-se na última madrugada para celebrar Bryant, celebrar “uma viagem de 20 anos”, como disse de novo Jeanie Buss, que falou e falou do homem que não nos deixou ficar órfãos de Jordan até lhe chegarem as lágrimas aos olhos.

“Kobe, obrigada por teres sido sempre leal ao púrpura e ouro e por seres um Laker para toda a vida, quando o mais fácil seria, talvez, deixar-nos”, sublinhou, agradecendo também a alguém que, pelos Lakers, jogou “mesmo em dor, levando a equipa às costas”.

Magic Johnson também ganhou 5 títulos pelos Lakers e também foi um Laker for life, mas deixa para Kobe o epíteto de melhor Laker. E numa cerimónia em que houve lágrimas e emoção, também houve tempo para uma mensagem política, uma chamada à ação de um homem que uniu tanta gente com a sua inteligência, elegância e instinto matador com uma bola de basquetebol na mão.

Kobe com a família

Kobe com a família

Maxx Wolfson/Getty

“Precisamos de ti agora. Quando eu olho para estas bancadas vejo pessoas de todas as raças que se uniram durante 20 anos para, juntas, torcer por ti”, começou por dizer Johnson, agora presidente dos Lakers. “Este país precisa de se unir novamente e tu uniste-nos, a nós e à cidade de Los Angeles, durante 20 anos”.

Já Kobe agradeceu a toda a gente (até aos jornalistas), começando nas antigas gerações de Lakers, passando pela nova geração, a primeira sem Kobe dos últimos 20 anos, e terminando na família, a mulher Vanessa e as filhas Natalia, Gianna e Bianka. E despediu-se com uma das suas imagens de marca, um “Mamba’s out!”

A assistir a tudo isto, vários dos jogadores que também têm as suas camisolas no tecto do Staples Center. Além de Magic (32), claro, Jerry West (44), James Worthy (42), Kareem Abdul-Jabbar (33), Jamaal Wilkes (52) e Shaquille O’Neal (34), além de outros Lakers como Derek Fischer e Byron Scott ou estrelas como Allen Iverson ou o lendário Bill Russell.

Pelo meio, também houve um jogo de basquetebol, já que a cerimónia aconteceu no intervalo de um Lakers-Warriors. Golden State acabou por estragar um poucochinho o dia à equipa de Los Angeles, vencendo por 116-114 após prolongamento.