Tribuna Expresso

Perfil

NBA

Liverpool na final da Champions? A carteira de LeBron James agradece. Muito

Jogador dos Cleveland Cavaliers é dono de 2% do clube inglês que na quarta-feira assegurou a passagem à final de Kiev, onde vai encontrar o Real Madrid. E, de acordo com a ESPN, o investimento tem corrido mais que bem

Expresso

Mitchell Leff/Getty

Partilhar

É assim uma espécie de efeito borboleta aplicado ao desporto. Numa era em que os clubes de futebol são autênticas empresas, com acionistas, cotação em bolsa and so on, um troféu, um feito ou até uma simples vitória podem valer não só a alegria de milhares de simples simpatizantes como milhões nas contas de investidores.

Nas contas bancárias de LeBron James, por exemplo. Enquanto o extremo dos Cleveland Cavaliers anda pelos pavilhões norte-americanos a tentar que a sua equipa faça boa figura nos playoffs da NBA, do outro lado do charco o Liverpool assegurava a passagem à final da Liga dos Campeões. E o que é que uma coisa tem a ver com a outra? Bem, quer dizer que enquanto o jogador LeBron James anda a acertar uns cestos, o empresário LeBron James está a encher os bolsos.

Isto porque o empresário LeBron James, através da sua empresa de marketing LRMR, é desde 2011 dono de 2% da equipa da Premier League, participação que terá custado qualquer coisa como 5,4 milhões de euros ao jogador de 33 anos. De acordo com a ESPN, apoiada nas contas de um especialista em investimentos em empresas da área do desporto, uma ida à final da Liga dos Campeões vale qualquer coisa como 85 milhões de euros, pelo que o Liverpool, que já era uma marca forte, está avaliado neste momento em qualquer coisa como 1,3 mil milhões de euros.

Ora, quer isto dizer que a participação de LeBron James vale neste momento quase 27 milhões de euros, ou seja, o valor cresceu perto de cinco vezes em sete anos. Nada mau.

O Liverpool joga a final da Liga dos Campeões frente ao Real Madrid a 26 de maio, em Kiev. E LeBron, que tanto vibrou com a bicicleta de Cristiano Ronaldo frente à Juventus, vai rezar que desta vez o português esteja quietinho. Tudo pela saúde da sua carteira.