Tribuna Expresso

Perfil

Opinião

Martim Silva

Martim Silva

Diretor-Executivo

O Ronaldo é nosso!

Martim Silva

Partilhar

A presença de Cristiano Ronaldo no jogo de hoje contra o Sporting é de tal forma marcante que até alterou por si só a forma como uma partida destas costuma ser enfrentada.

O Real Madrid - Sporting transformou-se numa partida de afetos (e basta atentar num conjuntos de declarações dos últimos dias). Mais parece um Cristiano Ronaldo - Sporting. Hoje é a família humilde que vai à cidade grande para ver in loco como o seu filho pródigo se tornou um homem rico, famoso e de sucesso. De cada vez que virmos Ronaldo embalar contra a nossa baliza, não vamos ter medo, vamos é dizer aos madrilistas ‘reparem como o nosso menino é lindo. É nosso!’

Para um sportinguista, hoje trata-se tão ou mais de enfrentar um colosso do futebol europeu como de ter do outro lado o melhor produto de sempre saído da ‘cantera' de Alcochete. Mesmo sabendo que Cristiano (ainda que a recuperar a melhor forma) é uma perigosíssima seta apontada à baliza do Sporting, e que por melhor que uma defesa com Coates e Semedo responda cá dentro dificilmente terá pernas para ele, hoje mais do que receio de um resultado negativo o que se sente é orgulho. O que impera são os afetos. Ele é o maior. E o maior é um dos nossos…

Da formação do Sporting para o mundo já saíram produtos de luxo como Figo, Simão, Dani, Nani, Hugo Viana, Moutinho, Veloso, Quaresma. Mas saiu sobretudo um jogador tão bom, tão bom que até é capaz do impensável: disputar ano sim, ano não o título de melhor futebolista do planeta com um futebolista de outro planeta como é Leonel Messi.

Bem, mas descendo à Terra o mais provável é que ainda antes do tempo que o leitor leva a ler este texto já os sportinguistas se tenham apercebido que Cristiano não vai amolecer por jogar contra o seu clube de formação e que portanto a noite em Madrid vai ser, em termos futebolísticos, muito complicada.

O Real é hoje o maior e mais rico clube do planeta. O Sporting nunca foi campeão europeu. Os espanhóis são os reis da competição com 11 títulos e os atuais detentores do troféu. O Sporting tem uma bela equipa, feita de elementos da formação e de jogadores que rumaram a Alvalade para tentarem o sucesso que não tiveram noutros clubes (Bryan Ruiz, Bas Dost, Markovic, Campbell, Coates, Schelloto). Entre os seus convocados, 12 nunca jogaram sequer na Champions. O Real Madrid, veja bem, tem no banco Morata (ou Benzema), Kovacic, James, Isco, Coentrão, Varane. No banco!

Bem dizia Jesus que para as coisas ficarem um pouco mais equilibradas se calhar o melhor mesmo era apelar ao sentimento e dar a Ronaldo uma camisola listada de verde e branco e esperar que ele a vestisse e se passasse para o lado de cá.

Dito isto, para o Sporting este pode ser um importante passo na sua fase de crescimento. É difícil vergar um colosso europeu na sua casa. Mas da prestação leonina, da sua maturidade e capacidade para jogar olhos nos olhos contra o Real, pode aferir-se do grau de desenvolvimento futebolístico deste Sporting.