Tribuna Expresso

Perfil

Opinião

Nicolau Santos

Nicolau Santos

Diretor-Adjunto

Senhor Presidente Bruno de Carvalho, desta vez foi demais!

Nicolau Santos

Partilhar

O presidente do Sporting Clube de Portugal está feliz. Tem todo o direito. Casou-se recentemente e vai ser pai. Mas que realize um vídeo com os meios audiovisuais do clube e que utilize o jogo da Taça da Liga entre o Sporting e o Marítimo para divulgar esse mesmo vídeo nos painéis que estão colocados no estádio ultrapassa em muito o admissível. Bruno de Carvalho comporta-se como o Sporting fosse dele. E não é.

Já o escrevi várias vezes e volto a repeti-lo: Bruno de Carvalho tem enorme mérito em muito do que se está a passar atualmente no clube, em particular na recuperação da mística e do entusiasmo dos sócios, que fazem com que o clube tenha em média mais de 40 mil pessoas a assistir aos jogos em casa. Mas o presidente fez muito mais: negociou com os bancos um plano de reestruturação, que não inviabiliza o sucesso desportivo; contratou excelentes treinadores; negoceia de uma forma dura a venda de jogadores; construiu o pavilhão para as modalidades; relançou várias modalidades que há muito não existiam no clube; expandiu internacionalmente a marca e a imagem do Sporting; apresentou propostas ao Governo e às instâncias desportivas para tornar mais transparente o futebol; bateu-se pela introdução do videoárbitro; e tomou outro tipo de iniciativas para além destas, sempre em defesa do clube.

O resultado é que o Sporting passou de novo a estar no mapa desportivo nacional, depois de um declínio que parecia irreversível. Todos os sportinguistas devem isso a Bruno de Carvalho e não o esquecem. Para os que não acreditavam no presidente, o sucesso que ele tem obtido em quase todas as batalhas em que se tem envolvido e a resposta dos sócios e simpatizantes é a prova que está a trilhar o caminho certo.

ANDR\303\211 KOSTERS

Acontece, contudo, que há dois aspectos que descredibilizam o presidente do Sporting: um é o seu estilo de intervenções desabridas, de péssimo gosto e educação; o outro é a sua recente tendência para querer ser ator de televisão, onde os seus papéis se tem revelado ser de terceira ou quarta categoria.

Bruno de Carvalho tem de perceber – ou alguém tem de lhe fazer perceber – que dar uma entrevista ao canal do Sporting, a fazer caretas sobre a forma como se expira o fumo dos cigarros ou a imitar a voz do filho do presidente do Arouca ou a dar ordens ao câmara para lhe fazer um “close-up” não lhe granjeiam um grão de credibilidade. Pelo contrário, condenam-no ao ridículo e à falta de respeito dos seus pares e das instâncias desportivas e políticas, que o deixam de tomar a sério. Bruno de Carvalho tem de perceber – ou alguém tem de lhe fazer perceber – que não pode levar a sua vida privada para o estádio do Sporting, num jogo do Sporting, perante os sócios e simpatizantes do Sporting, que gostam seguramente muito que o presidente esteja feliz mas que não tem absolutamente nada a ver com isso. A partir daqui, o que se segue? Um vídeo com o nascimento do rebento? A comemoração dos aniversários do casamento? A primeira ida à escola pela mão do pai?

Bruno de Carvalho ultrapassou claramente todos os limites quando anunciou a gravidez da sua mulher num vídeo que divulgou nas instalações oficiais do Sporting Clube de Portugal, feito com meios do clube. Mas este é o sinal de que Bruno de Carvalho ama tanto o clube que pensa que o Sporting Clube de Portugal é dele e que pode fazer tudo o que quiser. Parafraseando Luís XIV, Bruno de Carvalho pensa seguramente que “le Sporting c’est moi”. E não, não é, não foi, nem será. O Sporting é um clube centenário e pertence aos seus sócios, não aos seus presidentes, por melhores que sejam.

Mais: Bruno de Carvalho devia perceber – ou alguém lhe devia fazer perceber - que é precisamente por causa de atitudes como estas, em que dá o flanco, que tem vindo a ser fortemente penalizado pela justiça desportiva. O castigo de seis meses que lhe foi aplicado é uma brutalidade sem qualquer sentido. Mas isso acontece precisamente porque Bruno de Carvalho, com algumas das suas atitudes, deixa de infundir respeito.

Ora o presidente devia estar muito consciente que este é um ano muitíssimo importante, senão decisivo, para o clube. A equipa principal de futebol precisa de obter êxitos desportivos esta época. E o certo é que, até agora, está bem encaminhada. Mas estes episódios caricatos que Bruno de Carvalho tem protagonizado podem vir a ser utilizados para desestabilizar e prejudicar o clube. Todos queremos que o Sporting seja campeão nacional de futebol e o presidente mais que ninguém. Que seja ele a criar condições para isso mas ao mesmo tempo a arranjar questões que podem prejudicar esse objectivo remete seguramente para as tragédias gregas – mas pode levar-nos, infelizmente, a outra época perdida. Esperemos que Bruno de Carvalho perceba isto e arrepie caminho, por forma a no final da época ser consagrado como o presidente do novo campeão nacional de futebol.