Tribuna Expresso

Perfil

Opinião

Sem fanatismos, sem medo, com honestidade intelectual: o que é preciso dizer sobre o videoárbitro

É tão inegável quanto elogiável que, por esta altura, já foram evitados cerca de 30 erros graves devido ao bom uso do VAR. Mas também é inegável que muitos outros (não sei se mais ou menos, em quantidade) ocorreram em circunstâncias em que seria expectável que a tecnologia interviesse. Artigo de Duarte Gomes, ex-árbitro de futebol

Duarte Gomes

getty

Partilhar

Desafiaram-me para fazer um balanço às arbitragens e, de um modo geral, às atuações dos árbitros até à data. E aceitar esse repto significa incluir nessa análise aquela que foi a grande novidade desta época desportiva: o projeto videoárbitro.

A palavra “projeto” faz ali todo o sentido. Para quem não se recorda, esta é uma ferramenta ainda em fase de testes. Fase de testes que durará cerca de dois anos (de 2016 a 2018), tempo considerado suficiente para que se recolha e analise a informação recebida das competições que aceitaram experimentar esta tecnologia.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)