Tribuna Expresso

Perfil

  • Peseiro e a casa às costas: “Tenho um pombal e adoro corridas de touros e de cavalos”

    A casa às costas

    José Peseiro, licenciado em Educação Fisica, com mestrado em Desporto, foi professor universitário depois de ser um jogador de futebol pouco reconhecido, mas é como treinador que se sente realizado. Amante confesso de todos os desportos, tem um pombal, é aficionado das touradas (a semana passada esteve em Madrid a assistir a quatro corridas) e anda derretido com a neta. Homem de família, tem o filho a trabalhar com ele desde o Egito (faz parte do gabinete de observação e scouting dos clubes por onde tem passado) e lamenta estar há tanto tempo fora de Portugal, o país que, para ele, continua a ser o melhor de todos. Desde 2003 até agora, além dos portugueses Sporting, FC Porto e Sp. Braga, treinou o Al Hilal, Panathinaikos, a seleção da Arábia Saudita, o Al Wahda, Al-Ahly e esta época o Al Sharjah. Este é o segundo episódio de “A Casa às Costas”

  • Peseiro: “Eu sou o do quase? E Jorge Jesus?”

    Entrevistas Tribuna

    O Sporting de Braga, 3º classificado da Liga portuguesa, vai ao Dragão defrontar o FC Porto, 4º, no sábado (20h30, Sport TV1), e José Peseiro aproveita a oportunidade para refutar, em entrevista à Tribuna Expresso, a imagem de treinador perdedor: “O Jesus também foi pé frio, perdeu três finais”

  • Bruno César: “Se hoje sou o jogador que sou é por causa do Jesus. Ele é gente boa, tranquilo”

    Entrevistas Tribuna

    Bruno César é um dos homens de confiança de Jorge Jesus, que o foi resgatar ao Estoril depois de uma aventura das arábias. O médio brasileiro, de 27 anos, admite que abdicou de muito dinheiro para regressar ao futebol europeu, mas que não há milhões que comprem a alegria de voltar a jogar ao mais alto nível. Como vai acontecer mais logo, em Alvalade, contra o Borussia (19h45, RTP1)

  • Ia dar “chocolatinho branco” ao avô e saiu do Sporting para o pai não ter lá um filho

    Entrevistas Tribuna

    Martim Águas “carrega” um nome, como ele diz. Ou um apelido. É neto de José, que levantou a primeira Taça dos Clubes Campeões Europeus do Benfica, e filho de Rui, que marcou mais de 100 golos pelos encarnados. Martim está no 1.º Dezembro e vai jogar, esta sexta-feira (20h15) contra o clube dele e da família, para a Taça de Portugal. Diz que foi “homenzinho” por ter saído do Benfica e que fez “um sacríficio” para sair do Sporting