Tribuna Expresso

Perfil

  • A vontade de sonhar

    Portugal

    Depois de um ano inesquecível para o futebol português, com a conquista do Euro 2016, um livro recorda a forma como foram vistos pela imprensa - nacional e internacional - os feitos dos Magriços há 50 anos, no Mundial de Inglaterra, que tornou Eusébio uma estrela do futebol à escala planetária

  • “Recebo €386 mensais. Não é suficiente para viver”

    Entrevistas Tribuna

    Aos quatro anos teve uma meningite que lhe deixou sequelas. Momentaneamente perdeu a memória, a fala e o andar. Foi recuperando aos poucos, mas a audição, a visão e a sua capacidade intelectual ficaram para sempre limitados. Com seis anos a mãe inscreve-o no atletismo e Lenine Cunha apaixonou-se pela modalidade. Hoje é conhecido como o atleta mais medalhado do mundo. Há quatro anos, nos Jogos Paralímpicos de Londres alcançou a medalha de bronze no salto em comprimento, a mesma prova onde, há uma semana, no Rio, não foi além do 6º lugar, deixando-o lavado em lágrimas. Mas Lenine promete não desistir e já pensa nos Jogos de Tóquio 2020, apesar dos apoios continuarem a ser escassos.

  • “Cheguei a jantar às quatro da manhã com a equipa”

    Portugal

    Fernando Gomes, presidente da FPF, estava de férias quando nos recebeu no seu gabinete da Cidade do Futebol. Dizia-se naturalmente cansado mas descansado, porque há dias a seleção tornara o improvável numa coisa palpável e, sobretudo, histórica: sagrar-se campeã europeia de futebol. Foi por aí que a conversa começou