Tribuna Expresso

Perfil

  • Deusébio

    Futebol nacional

    Do “Magagaga” de Lourenço Marques ao “Pantera Negra” do Benfica e de Portugal, a carreira de Eusébio, o “King”, chega no dia 23 às salas de cinema

  • Paneira: “Antigamente, a seleção era uma casa de repouso”

    Seleção

    Vítor Paneira, antiga glória do Benfica e do Guimarães europeu do dealbar dos anos 90, foi um dos jogadores que foi à Suiça ganhar (1-2) no apuramento falhado do Mundial de 1990. O selecionador era Artur Jorge, a sua Nemésis, ao ponto de ainda hoje dizer que a sua única mágoa foi ter sido despedido da Luz aos 28 anos. Sem clube desde que saiu do Tondela, confia que a seleção ainda tem muitas alegrias para dar aos portugueses, ao contrário do que acontecia no seu tempo

  • O Relâmpago

    Jogos Olímpicos

    Bolt é o atleta mais famoso do mundo. Os amigos de infância, os antigos professores, e ele próprio explicam o que o torna grande. Os Jogos Olímpicos do Rio podem fazer dele uma lenda viva do desporto mundial. Esta madrugada (meias-finais à 1h e final às 2h25) pode tornar-se no primeiro a conquistar o ouro olímpico nos 100 metros por três vezes

  • A lenda dos Magriços começou há 50 anos

    Seleção

    Há meio século, a seleção alcançou o seu primeiro Mundial, em Inglaterra. Os portugueses espantaram tudo e todos, com um jogo épico contra a Coreia do Norte e consagrando uma lenda, Eusébio. O Expresso juntou seis dos elementos dessa seleção nacional e republica a história desse reencontro no dia em que passam 50 anos sobre o primeiro jogo (Portugal-Hungria, 3-1, em Old Trafford, Manchester) da campanha dos Magriços em terras de Sua Majestade