Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

O andebol leonino, o ‘cepo’ belga e o burquíni do Otávio (e o resto do onze visto pelo Lá Em Casa Mando Eu)

O blogue Lá Em Casa Mando Eu é escrito por um casal com muitos problemas conjugais ao nível da bola: ela é portista fanática e ele é benfiquista ferrenho. A Catarina escreveu o que lhe ia na alma

Catarina Pereira

Comentários

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

Casillas

Foi notícia esta semana por não estar na lista de convocados de Lopetegui, o que, bem vistas as coisas, é o sonho de qualquer jogador. Fez-nos passar a vergonha de pedir mão nos dois golos do Sporting, não tendo percebido que o grande investimento dos leões no andebol começa finalmente a fazer efeito. No que ao futebol diz respeito, fez pelo menos duas boas defesas: aos 32, com um pé, defendeu o remate de Adrien e, aos 55, parou o cabeceamento muito perigoso de William Carvalho.

Layún

Fez mais uma assistência para golo, demonstrando que a táctica de Nuno de deixar um lateral habitual titular encostado à vez continua a resultar. Teve a honra, aos 29 minutos, de se despedir das cotoveladas de Slimani, num lance em que a bola já ia a sair do campo. Pelas minhas contas, quando Slimani sair do Leicester para o Krasnodar, vai ser castigado. Layún, por sua vez, sofreu muito com os ataques do Sporting pelo lado esquerdo e a atacar destacou-se numa recepção desastrosa num contra-ataque perigoso, em que Casillas, só de o ver, até se atirou para o chão. Mal o árbitro ao não expulsar o guarda-redes do FCPorto, que já tinha um amarelo.

Felipe

Aos 8 minutos, marcou o primeiro golo num livre marcado por Layún, ao aparecer entre Bryan Ruiz e João Pereira, que, juntos, devem ter uma cláusula de rescisão de 3 mil milhões de euros. Aos 23 minutos, fez um bom corte ao cruzamento de Slimani. Já aos 83, sofreu uma entrada duríssima de Bruno César e, o que em Roma daria expulsão certa, em Alvalade deu um amarelo quase com pedido de desculpas do árbitro.

Marcano

Não parece grande elogio destacar um jogador por aquilo que não fez em vez de por aquilo que fez, mas aqui vai: Marcano não parece fazer falta sobre Slimani no livre que dá o primeiro golo do Sporting. É pena que, após a marcação do livre por Bruno César, ao poste, o central tenha sido apenas um entre muitos jogadores portistas que ficaram parados a pedir uma mistura de fora-de-jogo e mão na bola. Se houver uma fotografia deste momento, penso que facilmente destronamos a imagem de dois idosos a chorar que se tornou viral.

Alex Telles

A Matemática não engana: está há exactamente um mês e 18 dias no FC Porto e já tem tantos títulos de campeão nacional como o Sporting em 14 anos. Não se fez notar muito no jogo além de ter batizado as canelas de Joe Campbell no futebol português.

Danilo

Quando chegou ao FC Porto ninguém o queria, a não ser Jorge Jesus. Sofreu a falta de Adrien que deu origem ao golo do FC Porto e só por esta consequência escrevo isto aqui, já que acho que todos os meus jogadores sofreram pelo menos uma falta de Adrien.

Herrera

Foi mais um jogador do meio-campo do FC Porto a entrar no jogo a todo o gás, com a diferença de ter aguentado q.b. até ao fim. No final da primeira parte conseguiu o milagre de sacar um cartão amarelo a Adrien numa falta por trás (antes, o médio do Sporting só tinha feito a falta que dá o golo do FC Porto, cortado um lance perigoso com a mão, roubado um chupa-chupa a uma criança e aderido ao Estado Islâmico). Na segunda parte, Herrera melhorou quando foi encostado à direita, abrindo-se a hipótese de, por detrás daquela beleza, estar escondido mais um falso extremo de que Nuno tanto gosta.

André André

Entrou muito bem no jogo, com dois bons passes nos primeiros minutos para André Silva e Corona, e aos 30 rematou de longe ao poste. Depois aconteceu-lhe mais ou menos o que me acontece quando acordo depois de uma noite na discoteca a beber e a fumar. Infelizmente, Nuno demorou a ver o desgaste evidente e só o tirou aos 73 minutos, para dar lugar ao ponta-de-lança belga cujo nome ainda não sei pronunciar além de "cepo".

Otávio

Esteve mais apagado do que o habitual até que, aos 60 minutos, William Carvalho fez o favor de lhe tirar o burquíni com o cotovelo. Depois disso pareceu mais livre de movimentos, passou por dois jogadores e cruzou para Marcano, que chutou como se a Terra estivesse ameaçada por um meteorito lá em cima. Deu o lugar a Adrián quando já estava mais concentrado no árbitro do que no jogo (não o censuro, eu estava igual).

Corona

O meu filho está naquela fase querida em que gosta de brincar com os próprios pés. Tenho pena, no entanto, que Corona também esteja. No entanto, o único extremo do FCPorto em campo pareceu ter jogado grande parte dos primeiros 45 minutos lesionado no ombro e acabou por sair ao intervalo para dar o lugar a Óliver.

André Silva

Protagonizou um bom duelo com os centrais do Sporting. Ameaçou logo aos 2 minutos, a passe de André André, mas Rúben Semedo chegou a tempo de cortar (fez o mesmo no início da segunda parte). Não teve a astúcia de sair da frente do cotovelo de Coates, aos 12 minutos, mas o árbitro esteve bem ao ignorar a agressão. Pouco depois conseguiu fugir à defesa adversária, a passe de Otávio, mas Rui Patrício defendeu (já estão a preparar os treinos para quando André Silva tirar o lugar a Cristiano Ronaldo na selecção). Para não dizerem que estou sempre a falar do árbitro, no início da segunda parte foi o auxiliar que lhe tirou mal um fora de jogo que o deixava isolado.

Óliver

Demorou a entrar no jogo até que Nuno corrigiu o erro e o mandou da direita para o meio. Alternou entre os passes à Óliver que deixam colegas quase isolados e os passes à Óliver que deixam adversários quase isolados.

Depoitre

Ia marcar o golo do empate, aos 82 minutos, mas André Silva quis tirar-lhe o momento de glória e o lance perdeu-se. Espero estar muito, muito enganada, mas começo a achar que passámos o play-off da Liga dos Campeões contra a Roma também porque Depoitre não pôde jogar.

Adrián Lopez

Recuso-me a escrever o que disse em voz alta quando Adrián inventou uma "finta" no último lance da partida em vez de rematar logo. À atenção da estrutura do FCPorto: faltam três dias para o mercado fechar.