Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

FC Porto demarca-se de cânticos ofensivos e Benfica elogia atitude

Cânticos proferidos pelos Super Dragões no clássico de andebol de quarta-feira à noite estão no centro da polémica

Patrícia Gouveia

Fábio Poço/Global Imagens

Partilhar

Foi rápido e não se esperava outra coisa. O Futebol Clube do Porto reagiu ao cântico que os Super Dragões entoaram quarta-feira à noite, durante o clássico de andebol contra o Sport Lisboa e Benfica.

No Dragão Caixa ouviu-se: "Ai, quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica", numa clara alusão ao trágico acidente aéreo de novembro de 2016, que vitimou a equipa da Chapecoense.

O cântico rapidamente se propagou pelas redes, pelas piores razões, e a polémica instalou-se. Até houve reações vindas do Brasil. Caso do site brasileiro Goal que escreveu um artigo com o título "Ora bolas: Torcida do Porto usa tragédia da Chapecoense para provocar Benfica" e do jornalista brasileiro da ESPN, Leonardo Bertozzi.

Pouco depois do sucedido, o clube azul e branco demarcou-se do sucedido através da rede social Twitter: "O FC Porto demarca-se de todos os cânticos ofensivos e apela que os adeptos se concentrem no apoio às nossas equipas."

Esta manhã foi a vez dos encarnados reagirem. Através de comunicado divulgado no site oficial, o Benfica manifestou satisfação pela forma célere como o FC Porto se demarcou do cântico que o tricampeão apelida de "muito grave e lamentável".

O Benfica espera que "este triste episódio" que "a todos nos envergonha", sirva como reflexão sobre as responsabilidades de cada um para travar o "clima de tensão".

Veja o vídeo:

Partilhar