Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Trinta minutos “fantásticos” neste “mar azul” de Sérgio Conceição

“Este mar azul vai continuar por muito tempo”, promete Sérgio Conceição, embalado pela vitória do FC Porto este domingo à noite por 1-0 contra o Sporting de Braga. “A nossa primeira meia hora foi fantástica”. E se isso é para continuar, é porque “temos jogadores que são fantásticos”.

Expresso

HUGO DELGADO/LUSA

Partilhar

“Fizemos um bom jogo”, avaliou o treinador no final do jogo, na “flash interview” da SportTV. “Entrámos muito fortes, com uma intensidade muito grande e vontade de agredir o adversário e chegar à baliza”. O Braga, disse, só fez “uma ou outra saída”, mas “sem criar problemas”. Depois da meia hora “fantástica” do FC Porto, “o Braga cresceu um pouco”, o que aconteceu “por erros individuais nossos”. O técnico sentiu a equipa “desconfiada em termos defensivos e não gostei”. Mesmo assim, “não houve um remate enquadrado do Braga”. A equipa do Dragão controlou depois “as características do Braga” e conseguiu, segundo Conceição, terminar a segunda parte com “o jogo no bolso”.

Já na segunda parte, o jogo do FC Porto foi feito “foi um jogo muito consistente da nossa parte. Podíamos ter feito mais dois ou três golos. Vencer pela margem mínima é curto e temos de ser mais eficazes em frente à baliza.” E assim, culmina, “somos justíssimos vencedores”.

“Temos de admitir que este FC Porto está muito, muito competitivo” e assim “vai lutar em todos os estádios pela vitória”. Daí nascerá uma vitória no campeonato, diz Conceição: “Acredito que teremos pelo menos mais um ponto do que o segundo classificado no final”.

Não querendo fazer elogios individuais, Sérgio Conceição salientou que não sofrer golos “não depende só do Casillas”, mas “dos dez colegas à frente dele”. O guarda-redes parece alinhar no espírito de equipa: “Pouco a pouco vamos construindo a nossa equipa”, afirmou também no final do jogo à SportTV. A vitória deste domingo “é mais um passo, é o quarto passo e queremos continuar”. Casillas considera que “a equipa tem estado firme e sólida atrás, e não sofrer golos vai dando mais confiança”.

Esta “era um jogo em que não podíamos desperdiçar pontos”, um jogo “muito importante”, e Casillas concorda com a análise do seu treinador: “entrámos muito bem nos primeiros 30 minutos”, depois o Braga criou problemas mas o FC Porto acabou a controlar o jogo, que “podia ter terminado 1-4 ou 1-3”.

Iker Casillas (que garante não ter tido nenhum problema físico, apesar de José Sá ter chegado a aquecer perto do intervalo) está há 360 minutos sem sofrer golos, o melhor arranque de temporada da sua carreira. “É uma motivação extra”, responde. “Mas o importante é o coletivo, o trabalho de toda a equipa, que defende toda em conjunto.”

Partilhar