Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Sérgio Conceição: “Isto do Casillas tem a ver com o treino. Não posso fechar os olhos a 15 dias de treino abaixo da minha exigência”

E, pronto, está desfeito o mistério. Casillas foi para o banco porque o treinador do FC Porto não gostou do que viu durante 15 dias, provavelmente os dias em que a equipa esteve desfalcada e sem competir por causa dos compromissos da seleção. Casillas treinou-se mal e isso, para Conceição, é inaceitável

Expresso

MANUEL ARaújo/LUSA

Partilhar

O BOAVISTA

“É um jogo igual aos outros, com um grau de dificuldade igual aos outros, com a particularidade de ser um dérbi. Mas nós encaramos sempre os jogos para ganhar”.

JORGE SIMÃO

“Nós ficamos sempre alerta. Se o Boavista não tivesse ganho, havia uma pressão diferente, mas nós não olhamos para as estatísticas ou para esse tipo de dados. Penso que quando um treinador entra de novo e três ou quatro dias depois ganha ao Benfica, o grande mérito é do antecessor. Obviamente, o Jorge Simão tem, depois, mérito nos resultados que tem vindo a obter. Já o defrontei antes e sei qual a marca dele. Mas vamos com o intuito de ir para lá para ganhar o campeonato. Não sei qual a estratégia da equipa adversária, mas aquilo que sei é o que nós vimos nos últimos jogos da equipa adversária”.

VIDEOÁRBITRO

“O VAR é mais uma ferramenta que ajuda à verdade desportiva, para que esta esteja sempre em cima da mesa. É um elemento essencial. Obviamente que um sistema de tecnologia avançado tem de melhorar - não pode haver falhas. E, por outro lado, tem de definir-se um critério para parar um jogo e pedir informação ao VAR. Ontem ouvi que isto também depende do homem e o homem erra. Quando o árbitro Rui Costa vai ao videoárbitro e mantém a sua decisão, de que não é penálti, não está a agir de má fé - é a sua convicção. O Rui Vitória e o Jorge Jesus tocaram em pontos importantíssimos”.

IKER CASILLAS

“Isto do Iker… não gosto muito de falar em nome individual. Mas é preciso esclarecer uma coisa: não é problema disciplinar, porque se fosse, não era convocado. Em termos comportamentais… Também não. Quando falo de opção técnica, obviamente tem de ter a ver com o treino. Sim, houve uma conversa com o Iker; ele quis perceber porque tinha saído da equipa e eu expliquei-lhe a ele e ao grupo. Eles sabem quais são as minhas regras. Não posso abrir exceções. Se abrir, perco o balneário. Agora, isso do timing… O que é isso do timing? Eu posso fechar os olhos a 15 dias de treino que não foram de acordo com a minha exigência? Ah, foi o comportamento, o telemóvel, foi ele que foi à casa de banho…”

BRAHIMI

“Dentro de um coletivo forte, tem de haver algumas individualidades. Acho que o Brahimi, dentro da nossa dinâmica, é um jogador importante e que está a fazer aquilo que eu lhe peço. Não estou a dizer que os outros treinadores não explicaram o que queriam dele”.

ADEPTOS

“Não quero uma onda, como dizia um jornal hoje, mas um mar azul. Temos a responsabilidade. A melhor forma de agradecer o apoio não é bater palmas no fim ou dar beijinhos - é ganhar”.