Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Conceição (e Lopetegui), árbitros, Pepe e Quaresma. Pinto da Costa falou e falou e falou

Segundo o presidente dos dragões, Sérgio Conceição está satisfeito com o atual plantel e não lhe pediu reforços

Expresso

Paulo Duarte

Partilhar

Ao contrário do que lhe é hábito, o Presidente do FC Porto teve, na terça-feira, um dia comunicativo. Depois do empate com o Besiktas, Pinto da Costa falou sobre vários temas com os jornalistas.

Eis os principais destaques.

A greve dos árbitros

"Não me diz respeito. Só me preocupa aquilo que me diz respeito. Não sou eu que tenho de tratar disso. É uma questão que, para mim, não existe."

A contratação de Sérgio Conceição

“Não contratei o Sérgio para não tentar ganhar ou melhorar. Para isso ia buscar o Lopetegui. Para ter um futebol fantástico, positivo, entendi que o Sérgio era o treinador ideal. Ele não apareceu aqui de paraquedas. O meu objetivo foi sempre a contratação do Sérgio. Ouvi que o FC Porto não tinha treinador, não era capaz de arranjar treinador... Ele está a demonstrar o seu grande amor ao FC Porto, porque abdicou de muita coisa para vir para o FC Porto. Prova que a nossa escolha estava correta.”

O novo programa da Benfica TV

"Estamos a falar de coisas sérias, da Champions. Podemos ser apurados e vem falar da estação de um clube que tem zero pontos [na Liga dos Campeões]. Neste momento, não vamos misturar as coisas. Não estamos a pensar no Benfica. Está tudo a pensar no Aves".

Reforços

“Se [o Sérgio Conceição] pediu reforços foi a vocês. Vocês é que têm de os dar. Se pedir, vamos ver. Espero que vocês ajudem a dar os reforços.”

Pepe e Quaresma

“Tive o prazer de receber a camisola das mãos deles, para recordar o tempo do FC Porto. Sou amigo da grande maioria dos jogadores que passaram pelo clube. Penso que um dia o Quaresma estará de regresso ao FC Porto, seja em que função for, não tenho dúvidas. Sei que ele vai viver no Porto depois de deixar o futebol. O Lucho, já sem estar a jogar no FC Porto, comprou uma casa para ir para lá viver, depois de acabar a carreira de jogador. Isto quer dizer que o clube lhes diz alguma coisa.”