Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Rui Vitória, um boneco com “modo agressivo” e “modo padre” e outras frases de Sérgio Conceição na conferência de imprensa

Após o encontro com o V. Guimarães, Sérgio Conceição falou mais uma vez das declarações do treinador do Benfica sobre arbitragem e não foi nada meigo. E desta vez não foram indiretas: o destinatário teve nome e apelido

Expresso

Partilhar

O recente bate-boca sobre arbitragens que tem marcado as declarações dos treinadores dos três grandes foi mais uma vez um dos temas da conferência de imprensa de Sérgio Conceição. Só que desta vez o técnico do FC Porto não esteve com meias-medidas: referiu nomes, lembrou que não anda "a mando de ninguém" e que diz "tudo o que lhe vem à cabeça".

– “Sou frontal e digo o que penso. É por isso que num contexto digo que é melhor deixar os árbitros em paz, mas também já critiquei equipas de arbitragem. Disse no fim do jogo nas Aves que os árbitros devem ser criticados como nós”

– “O que me vem à cabeça, eu expresso. Não ando aqui a mando de alguém. Zero. Aliás, vocês sabem disso, já entrei em confronto, salvo seja, com o diretor de comunicação, por ter uma diferente opinião. Posso entrar com o meu presidente. Sou livre, sou crescido, assumo a responsabilidade pelo que digo”

– “Faz-me lembrar um boneco que o meu filho tem em casa e que não tem expressão. Depois carrega no ‘modo agressivo’ e ele cerra os dentes. Depois ‘modo padre’ e ele faz assim [junta as mãos]. Eu não sou desses, mas há alguém que seja assim, que é comandado para aparecer de diferentes maneiras à frente da comunicação social. Se tem destinatário? Tem, é o Rui Vitória”