Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

José Sá na baliza ou na bancada? O dilema de Sérgio Conceição no regresso ao Estoril

Trinta e sete dias depois, FC Porto regressa ao Estoril para reverter em 45 minutos o golo de desvantagem do encontro adiado por razões de segurança. Os dragões estão otimistas, apesar de esta noite a equipa subir ao relvado carregada de condicionantes: se Casillas bisar a titularidade, José Sá fica inibido de se sentar no banco, passando o papel secundário a Vaná ou Fabiano

Expresso

José Sá é um dos guarda-redes do FC Porto

LINDSEY PARNABY/GETTY

Partilhar

O FC Porto tem meio jogo para dar a volta ao golo marcado por Eduardo aos 16 minutos de jogo, no Estádio da Amoreira, referente à 18ª jornada, adiada ao intervalo quando uma das bancadas ameacou ceder. Líder isolada da Liga Portugal, a equipa de Sérgio Conceição sobe ao relvado com dois pontos de vantagem em relação aos rivais Benfica e Sporting, distância que tentará alargar para confortáveis cinco pontos em caso de vitória.

Nas hostes azuis e brancas, o espírito é de otimismo, apesar dos constrangimentos regulamentares na lista de convocados. A dor de cabeça maior de Sérgio Conceição está na baliza, depois de ter trocado José Sá por Casillas no último jogo na sequência da dura derrota frente ao Liverpool. Hoje, caso bise a escolha, Sá, guardião titular no meio jogo na Amoreira, fica inibido de se sentar no banco de suplentes para dar lugar a Vaná ou Fabiano. Reaza o Regulamento de Competições que “os jogadores que estavam em campo no momento em que o jogo foi interrompido não podem ser incluídos na ficha técnica como suplentes”

Do onze inicial que jogou a 15 de janeiro, o treinador portista não pode contar esta tarde com Ricardo, Danilo e Aboubakar, lesionados, nem com Miguel Layún, entretanto emprestado ao Sevilha. Em contrapartida, Brahimi e Otávio, em tratamento na anterior deslocação ao Estoril, passam a elegiveis para esta tarde, entrando ainda nas contas de Sérgio Conceição Jesús Corona, mesmo tendo sido punido frente ao Rio Ave com o quinto cartão amarelo.

Fora da lista de convocados ficam os quatro reforços de inverno - Paulinho, Waris, Paciência e Osorio -, dado não estarem inscritos pelos azuis e brancos no jogo interrompido.

Apesar de todas as condicionantes, reina a confiança no balneário portista, destacando a newsletter Dragões Diário a história de quatro reviravoltas felizes frente ao Estoril em jogos para a Liga: a 30 de janeiro de 2016, Aboubakar, Danilo e André André inverteram a desvantagem que durava desde o terceiro minuto de jogo; a 28 de outubro de 2016, Varela e Jackson virou o resultado de 1-0 em quatro minutos. Puxando o filme mais atrás, recordam os azuis e brancos dois outros finais felizes em 1951/52 e no ano seguinte, depois de estarem a perder frente ao adversário desta quarta-feira.