Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Sérgio Conceição admite que o FC Porto está "muito limitado" devido às ausências, mas recusa "arranjar desculpas"

FC Porto joga este domingo (20h15) frente ao Portimonense no Algarve com várias baixas no plantel

LUSA e Expresso

FRANCISCO LEONG/Getty

Partilhar

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, considerou hoje que a equipa vai ter no domingo um dos jogos mais difíceis até final da época como visitante, quando defrontar o Portimonense, na 24ª jornada da liga de futebol.

Sérgio Conceição fez a antevisão da deslocação ao estádio municipal de Portimão, prevista para as 20:15 de domingo, numa unidade hoteleira de Lagos, no Algarve, onde o FC Porto está em estágio há três dias a preparar o encontro com Portimonense, depois de ter rumado ao Algarve a seguir à conclusão do jogo com Estoril, cuja segunda parte tinha sido adiada e só foi disputada na quarta-feira, acabando com vitória portista por 3-1.

“Esperamos encontrar uma equipa competente, que tem feito um excelente campeonato, que está talvez no melhor período da época”, começou por dizer Sérgio Conceição, salientando que é uma visita a um estádio e campo “historicamente difícil”.

“Vamos, com certeza, ter um adversário e um jogo talvez, até ao final da época, dos mais difíceis que vamos encontrar fora, muito sinceramente”, acrescentou.

O treinador português garantiu, no entanto, que os seus jogadores estão “alerta e preparados para essas mesmas dificuldades e para tentar ganhar o jogo”, diante de um rival que é, destacou, uma das equipas com mais golos marcados na liga.

“Penso que a equipa do Portimonense, depois dos quatro primeiros classificados, é a equipa que tem mais golos na Liga [35 golos] e isso é bem demonstrativo do poder ofensivo que tem. Tem jogadores rápidos do meio para a frente, também a nível individual, tal como a nível técnico. A base para nós ganharmos o jogo tem de estar na solidez defensiva", afirmou.

Sérgio Conceição elogiou o trabalho do treinador do Portimonense, Vítor Oliveira, que desde janeiro, após a reabertura do mercado, passou a jogar de “uma forma mais objetiva e vertical” e a “potenciar ainda mais esse poder ofensivo, porque tem jogadores rápidos do meio para a frente, que são muito interessantes a nível individual”.

“Estamos precavidos em relação a isso, sabemos que todos os momentos do jogo são importantes para nós e esse equilíbrio defensivo e essa organização defensiva que temos que ter tem que ser a base para ganharmos o jogo, sem dúvida nenhuma”, alertou.

O treinador do FC Porto falou também das ausências por lesão e por castigo e lembrou que, no Estoril, “faltou um jogador para completar a folha” de jogo, situação que não se irá repetir em Portimão, apesar de “todos os problemas” em termos de lesões.

“Estamos muito limitados. Agora poderá não faltar, mas não devo deixar nenhum jogador de fora devido às lesões. Temos de pensar nas alternativas e nas soluções. Gosto de ter toda a gente disponível para o jogo, mas não vou arranjar desculpas nas limitações que eu possa ter a esse nível. Se não estou a contradizer-me quando digo que todos os jogadores me dão garantias”, acrescentou.

O FC Porto, líder do campeonato, com 61 pontos, defronta o Portimonense, 10.º classificado, com 27, a partir das 20h15 de domingo, no estádio municipal de Portimão.