Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

A verdade de La Palice da Dragões Diário (com um toque de esperança)

Pela primeira vez esta época a olhar para cima, para o Benfica, o FC Porto depende apenas de si para ganhar o título nacional que foge há quatro anos

Expresso

FRANCISCO LEONG

Partilhar

“É um clichê e uma verdade de La Palice dizer que a eficácia é que decide os jogos, mas não há como fugir”. Assim começa a newsletter Dragões Diário, na manhã em que o FC Porto acordou fora da liderança da Liga, após a derrota por 2-0, no Estádio do Restelo.

Na carta aos adeptos, a máquina de comunicação dos azuis e brancos lembra que a equipa rematou 26 vezes e saiu da partida a zeros, enquanto o Belenenses chutou quatro vezes à baliza e aproveitou metade das ocasiões.

Na sua newsletter diária, o FC Porto sublinha que esta é a primeira vez nesta temporada que a equipa de Sérgio Conceição termina uma jornada a olhar de baixo para o Benfica, mas deixa uma mensagem de esperança aos sócios e simpatizantes: “Uma coisa não mudou. Os azuis e brancos continuam a depender de si próprios para conquistarem o principal objetivo da época”.

Calendário complicado

No final do desaire no Restelo, Conceição assumiu que ontem o FC Porto “devia ter feito mais”, reconhecendo a “ineficácia grande da equipa”, que diz ser “incompreensível alguma ansiedade na hora de rematar e finalizar”. O treinador assegura, contudo, que está tudo em aberto e deixa uma garantia aos adeptos: “Dependemos só de nós e o grupo está consciente do que tem de fazer, que é ganhar as seis finais que faltam”.

Triste pelo resultado do milésimo jogo na carreira, Iker Casillas aponta ao futuro próximo, deixando a promessa que a equipa vai levantar já a cabeça já e dar uma resposta positiva aos adeptos no próximo jogo com o Desportivo das Aves, antes do embate escaldante frente ao Benfica, que segunda o guarda-redes, “neste momento, não importa nada”.

A seis jornadas da reta final, os portistas não terão vida fácil: além da ida à Luz, irão ainda à Madeira jogar com o Marítimo e a Guimarães, na última jornada, recebendo pelo meio o Setúbal e o Feirense.

Teoricamente mais fácil é a vida da equipa de Rui Vitória, bicampeão nacional e que tem por missão, agora mais possível, de igualar inédito penta conquistado pelos Dragões no final do século passado. Além da receção ao FC Porto, a equipa da Luz vai a Setúbal na próxima jornada, seguindo-se Estoril e Tondela antes do confronto a doer em Alvalade e de fechar a época com o Moreirense em casa.