Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Madureira concorda com "puxão de orelhas" e fará "com gosto" trabalho comunitário

Líder dos Super Dragões elogia a forma como o julgamento foi conduzido no Tribunal de Oliveira do Bairro e diz estar disponível para realizar qualquer tipo de trabalho a favor da comunidade. Fernando Madura afirma que mereceu o puxão de orelhas por ter atentado, "sem intenção", contra a segurança rodoviária

Isabel Paulo

“Macaco” e companhia admitem que jogam de forma máscula, mas dentro das regras. Juram que a campanha contra eles e os Super Dragões é uma desculpa para atingir o FC Porto

rui duarte silva

Partilhar

Fernando Madureira, conhecido pela alcunha de 'Macaco' no mundo da bola, aguarda que o Tribunal de Oliveira do Bairro indique o tipo de trabalho que irá realizar a favor da comunidade, após ter sido, esta sexta-feira, condenado a um ano e quanto meses de prisão. O líder da claque afeta ao FC Porto diz estar disponível para realizar “sem reservas, qualquer tarefa em prol da comunidade”, concordando com a pena de 480 horas.

Madureira diz que todo o julgamento foi “bem conduzido” pela juíza Rita Queiroz, referindo que a magistrada afirmou que a pena “foi um puxão de orelhas” por ter posto em causa a segurança rodoviária ao mandar parar o autocarro em que seguia a claque portista na área de descanso da A1, em Oliveira do Bairro, para confrontar os adeptos do rival Benfica.

“Disse-me, e com razão, que como líder da claque deveria ser um exemplo para os adeptos, e não fui”, adianta ao Expresso, embora saliente que a juíza referiu que causou constrangimentos e colocou em risco a segurança dos automobilistas e passageiros “sem intenção”